Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,44
    -0,22 (-0,30%)
     
  • OURO

    1.784,90
    +2,00 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    31.862,21
    -3.803,12 (-10,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    762,93
    -87,41 (-10,28%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.062,29
    +44,82 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    28.489,00
    -312,27 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.010,93
    -953,15 (-3,29%)
     
  • NASDAQ

    14.139,75
    +9,75 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9723
    -0,0030 (-0,05%)
     

Twitter começa a testar cobrança de ingressos para sessões no Spaces

·2 minuto de leitura

Desde que lançou o Spaces, o Twitter promete formas de monetizar a plataforma para atrair mais interessados em produzir conteúdo de áudio. Inicialmente, o “Tip Jar” chegou com uma opção para receber gorjetas dos seguidores, mas ainda era algo bastante simplista. Agora a plataforma deve elevar o patamar dos negócios com o Ticketed Spaces.

Conforme o site The Verge, essa novidade vai permitir a cobrança de ingressos para as pessoas participarem das salas. A ideia é incentivar debates, palestras e outros formatos apenas por voz no Spaces, o principal concorrente do Clubhouse na atualidade.

Com os ingressos, o microblogging espera atrair interessados em monetizar conteúdos de áudio (Imagem: Divulgação/Twitter)
Com os ingressos, o microblogging espera atrair interessados em monetizar conteúdos de áudio (Imagem: Divulgação/Twitter)

Usuários dos Estados Unidos serão os primeiros a testar a novidade a partir das próximas semanas, porém, apesar disso, qualquer pessoa do mundo poderá comprar ingressos para adentrar nos eventos. Para ganhar o direito de cobrar pela sua apresentação é necessário ter pelo menos mil seguidores, ter hospedado três Spaces nos últimos 30 dias e ser maior de 18 anos.

Estes requesitos são mais restritos do que os recentemente impostos para criar uma sala no Spaces. No começo de maio, a companhia liberou o serviço para perfis com pelo menos 600 seguidores, sem restrição de idade ou exigência de uso.

Valores podem não ser tão atrativos

A empresa de pagamentos Stripe será a responsável por arrecadar os pagamentos e repassá-los aos criadores de conteúdo, que vão receber 80% do valor arrecadado. Vale lembrar, contudo, que além desses 20% pagos à companhia de crédito, haverá a incidência de 30% referente aos valores cobrados pela Apple e Google para transações nos ecossistemas das empresas.

Para entender melhor a conta: se um ingresso custar R$ 100, o organizador vai pagar R$ 30 para a App Store/Play Store. Dos R$ 70 restantes, ele terá o desconto de 20% (R$ 14), ficando apenas com R$ 56. Isso pode encarecer demais o preço dos ingressos.

Nas salas do Spaces, uma pessoa fala e as outras apenas ouvem e interagem (Imagem: Divulgação/Twitter)
Nas salas do Spaces, uma pessoa fala e as outras apenas ouvem e interagem (Imagem: Divulgação/Twitter)

Neste momento inicial, segundo o The Verge, o Twitter vai cobrir o custo das transações no Stripe e não vai descontar valores de ninguém. Caso a plataforma se estabilize e atraia a atenção de muitas autoridades, provavelmente a rede pode desfazer essa decisão para tirar também a sua fatia.

Assim que as inscrições forem abertas, a equipe da rede social do passarinho deve levar algumas semanas para analisar todos os pedidos. Um pequeno grupo de teste deve ser selecionado até que tudo esteja 100% funcional para a liberação ampla.

Ainda não há previsão de quando a novidade deve desembarcar em terras brasileiras, mas deve levar algum tempo. Por enquanto, você pode testar o Spaces para ver se o formato agrada e se existe produtores de conteúdo interessantes para acompanhar: é só baixar o Twitter e procurar pela bolinha roxa no local dos stories.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos