Mercado fechado

Twitter Blue não poderá ser assinado por contas recém-criadas

O Twitter Blue só poderá ser contratado por contas que existem há mais de 90 dias. Em página de suporte do serviço, o Passarinho Azul divulgou a nova medida para controle das assinaturas, decisão que deve pelo menos amenizar a onda de contas falsas que assolou a rede social após a “venda” do selo de verificação.

Antes, qualquer conta podia contratar o Twitter Blue e, de imediato, ter o selo de verificado associado ao perfil. Essa facilidade possibilitou a criação de inúmeras contas falsas que se passavam por figuras públicas, governos e empresas.

Somente contas com mais de 90 dias de existência poderão assinar o Twitter Blue (Imagem: Reprodução/Twitter)
Somente contas com mais de 90 dias de existência poderão assinar o Twitter Blue (Imagem: Reprodução/Twitter)

"O Twitter Blue está disponível no iOS somente nos países Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido, mas tem planos de expansão. Nem todos os recursos estão disponíveis para todas as plataformas. As contas do Twitter recém criadas não poderão assinar o Twitter Blue por 90 dias. Nós também estabeleceremos períodos de espera para novas contas no futuro sem aviso prévio", esclarece a página de suporte da rede.

A nova restrição do Twitter não deve impedir totalmente a criação de contas falsas, porém deve tornar o problema menos recorrente — ao menos, deve impedir que um usuário crie uma conta especificamente para fazer bagunça. Não está claro, também, se a limitação se aplicará a contas que mudaram o nome de usuário recentemente.

A crise do Twitter Blue

O Twitter enfrenta uma verdadeira "crise de identidade" desde a liberação do Twitter Blue com selo de verificado. No mesmo dia em que o recurso foi liberado, a plataforma foi tomada por contas falsas, consequência que chamou a atenção de órgãos reguladores dos Estados Unidos e da principal agência de publicidade parceira do Passarinho Azul.

Para conter o problema, o Twitter interrompeu a contratação de novas assinaturas dois dias após o lançamento do serviço. A decisão não havia sido confirmada pela companhia até que Elon Musk afirmou que a assinatura seria relançada em 29 de novembro, tempo necessário para polir o produto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: