Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.087,04
    -182,03 (-0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Twitter Blue é lançado com o poder de editar postagens, mas há um porém

·2 minuto de leitura

O Twitter deu fim aos rumores sobre o Twitter Blue literalmente confirmando todos eles. A rede social anuncia que o seu serviço por assinatura está liberado para usuários da Austrália e Canadá com custo girando em torno de US$ 3 mensais e finalmente dá aos usuários a capacidade de editar tuítes — pelo menos, em parte.

A modalidade paga dá ao usuário os mesmos recursos especiais que o Canaltech noticiou de vazamentos anteriores. Dito isso, o perfil pagante poderá:

  • Desfazer tuítes (incluindo respostas e retuítes) dentro de uma janela de 30 segundos depois de apertar o botão de publicar para corrigir erros de digitação, marcações erradas ou simplesmente mudar a postagem;

  • Salvar publicações em pastas personalizadas;

  • Habilitar o “Modo leitura” para acompanhar threads mais longas com menos poluição visual, dando maior foco para o texto publicado (quase como a extensão TwitLonger).

A rede social diz que os recursos extras são baseados em feedbacks recorrentes da própria comunidade de usuários — especialmente no que se refere à edição de publicações, embora a janela de oportunidade seja bem pequena.

Pascas de arquivos salvos ajudam você a encontrar o conteúdo posteriormente (Imagem: Divulgação/Twitter)
Pascas de arquivos salvos ajudam você a encontrar o conteúdo posteriormente (Imagem: Divulgação/Twitter)

Assinantes do Twitter Blue também terão acesso a outras vantagens, como ícones customizáveis e temas exclusivos para o aplicativo de celular. Ademais, o Twitter dedicará um tipo de atendimento exclusivo para os interessados no plano.

As informações antecipadas pela programadora Jane Manchun Wong estavam corretas até mesmo no preço. No Canadá, o serviço de assinatura custa 3,49 dólares canadenses (R$ 14,60, em conversão direta), enquanto na Austrália custa 4,49 dólares australianos (R$ 17,45). Em conversão direta para o dólar estadunidense, o valor fica em torno de US$ 3 — exatamente o que foi divulgado pela informante e posteriormente publicado na App Store.

Botão de desfazer tweet dará uma segunda chance para fazer correções ou cancelar uma publicação sem que ninguém veja (Imagem: Divulgação/Twitter)
Botão de desfazer tweet dará uma segunda chance para fazer correções ou cancelar uma publicação sem que ninguém veja (Imagem: Divulgação/Twitter)

No Brasil, segundo informações dispostas na App Store, a assinatura custará R$ 15,90 por mês. Não se sabe, porém, quando o Twitter Blue chegará aos usuários brasileiros e o anúncio não menciona a estratégia de expansão da companhia.

A rede social afirma que continuará atenta ao retorno da comunidade quanto aos novos recursos e que trabalha em mais adições e habilidades para garantir aos assinantes ao longo do tempo. Mais informações sobre o serviço devem ser divulgadas pelo perfil oficial da plataforma, o @TwitterBlue.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: