Mercado abrirá em 7 h 55 min
  • BOVESPA

    106.247,15
    -2.542,18 (-2,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.394,03
    -1.070,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,66
    +1,07 (+0,98%)
     
  • OURO

    1.813,80
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    29.098,30
    -731,25 (-2,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    648,12
    -22,56 (-3,36%)
     
  • S&P500

    3.923,68
    -165,17 (-4,04%)
     
  • DOW JONES

    31.490,07
    -1.164,52 (-3,57%)
     
  • FTSE

    7.438,09
    -80,26 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    20.179,30
    -464,98 (-2,25%)
     
  • NIKKEI

    26.413,38
    -497,82 (-1,85%)
     
  • NASDAQ

    11.940,75
    +5,25 (+0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2363
    +0,0180 (+0,34%)
     

Twitter bane propagandas que negam mudanças climáticas

·2 min de leitura

O Twitter anunciou que não aceitará anúncios que contradigam o consenso científico para negar mudanças climáticas. A rede social do passarinho afirmou que banirá qualquer propaganda que rejeite questões relacionadas ao aquecimento global e similares.

O aviso foi dado em um post oficial no Dia da Terra. Segundo a empresa, o negacionismo climático não deve ser monetizado no Twitter, porque anúncios deturpados prejudicam conversas sadias e importantes sobre os acontecimentos relacionados ao clima no planeta Terra.

Antes do aviso formal, a plataforma já adotava a postura de rejeitar ou interromper anúncios que negavam mudanças climáticas como parte da sua política de conteúdo impróprio. A mesma regra é aplicada a discurso de ódio, falas contra a vacina ou conteúdos sexuais explícitos.

Não é proibido debater mudanças climáticas, desde que isso seja feito com a apresentação de evidências e embasado em metodologias científicas. O que o Twitter começou a relegar são as teorias conspiratórias cuja base são os conceitos ideológicos.

Para considerar o que é verdadeiro, os moderadores usam como fontes órgãos mundiais respeitados, como o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), órgão vinculado à Organização das Nações Unidas para tratar do tema. O último relatório do grupo, divulgado no começo de abril, alertou para a necessidade de redução das emissões de gases de efeito estufa em todos os setores, como forma de controlar o aquecimento global e a variação da temperatura em 1,5 graus Celsius.

Luta contra a desinformação

No ano passado, a empresa passou a exibir informações confiáveis sobre mudanças climáticas na plataforma. Há um tópico inteiro dedicado ao tema e vários hubs de informações espalhados pela plataforma com dados confiáveis nas guias Explorar, Pesquisa e Assuntos do Momento. O lançamento dos hubs coincidiu com a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021, o que mostra a importância do tema para a rede.

Além dos painéis informativos, o Twitter separa o assunto por tópicos para facilitar a compreensão (Imagem: Captura de tela/Alveni Lisboa/Canaltech)
Além dos painéis informativos, o Twitter separa o assunto por tópicos para facilitar a compreensão (Imagem: Captura de tela/Alveni Lisboa/Canaltech)

Essa pode ser uma decisão para marcar a postura da empresa em temas sociais importantes, justamente em um momento no qual os holofotes estão voltados para a proposta de compra feita por Elon Musk. O bilionário critica as práticas de moderação do Twitter porque diz que elas não aderem aos "princípios de liberdade de expressão" e que isso prejudica a democracia.

Musk não chega a ser um crítico aberto ao combate às mudanças climáticas, mas algumas de suas posições vão contra essa ideia. O fundador da Tesla e SpaceX é um dos expoentes no setor de criptomoedas, considerado um dos vilões do meio ambiente devido ao uso excessivo de energia para a mineração.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos