Mercado abrirá em 1 h 24 min
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,35
    +0,08 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.867,40
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    45.614,19
    +295,80 (+0,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.267,85
    +69,93 (+5,84%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.068,48
    +35,63 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    28.593,81
    +399,72 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    28.406,84
    +582,01 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    13.371,75
    +68,25 (+0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4410
    +0,0311 (+0,49%)
     

Twitch toma atitude após onda de ataques com bots que inflam seguidores

Felipe Demartini
·5 minuto de leitura

A Twitch anunciou o banimento de 7,5 milhões de contas falsas na plataforma de streaming, em um esforço para conter a onda de ataques envolvendo bots que inflam seguidores e tentam causar o bloqueio de canais. Os perfis identificados são voltados ao que a plataforma chamou de “engajamento falso”, um tipo de atitude que fere os termos de uso do site e que vinha sendo usada por trolls para que criadores de conteúdo fossem bloqueados no serviço.

As atividades de compra de seguidores, claro, existem na Twitch e em qualquer outra plataforma, até porque, no site, os criadores mais visualizados ganham espaço nas páginas principais ou interfaces voltadas a jogos específicos. Entretanto, esse ato ganhou nova forma na plataforma, sendo utilizado para manipulação de números ou ataques contra criadores de conteúdo menores, como forma de gerar o banimento injusto de seus canais.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Um caso foi relatado recentemente pela streamer Pinkysaura, que exibiu no Twitter como um golpe desse tipo acontece. Rapidamente, e enquanto o criador está ao vivo, centenas e até milhares de contas falsas passam a seguir e acompanhar o canal, inflando suas métricas e atrapalhando a transmissão, já que muitos usuários da Twitch usam sistemas que exibem, na tela, os nomes dos novos seguidores e inscritos. O comportamento também é notado pelos sistemas automatizados da plataforma, que banem o canal por suspeita de compra de engajamento.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

No Brasil, um dos casos mais notórios é o da streamer Nebulosa, que afirma estar sendo vítima de golpes desse tipo há mais de um ano, envolvendo não só o engajamento falso como também mensagens machistas, ofensivas e de assédio sexual. Em alguns casos, os ataques se estendiam também para fora da plataforma, com direito ao envio de áudios e e-mails com ameaças ou imagens violentas. Outras criadoras também relatam casos semelhantes e, em todos eles, não existem menções a atitudes da Twitch diante das situações.

Basta uma pesquisa rápida em redes sociais para encontrar diferentes usuários, principalmente criadores de conteúdo pequenos, falando sobre o recebimento de ataques com bots durante suas lives. Em alguns casos, o número de “novos seguidores” pode chegar às dezenas de milhares, enquanto as métricas de visualizações não acompanham esse movimento, constituindo, para sistemas de inteligência artificial, um clássico e malfeito caso de compra de engajamento — justamente a aparência buscada pelos responsáveis pelos ataques, que fazem isso na tentativa de gerar a suspensão dos espaços.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Segundo o Twitch, os perfis falsos que vinham sendo utilizados para tais atividades foram identificados por sistemas automatizados e os usuários devem observar uma queda em suas contagens de seguidores nos próximos dias por conta do banimento em massa. Mais do que isso, a ideia é trazer mais tranquilidade aos criadores durante as transmissões e, principalmente, evitar que ataques e banimentos injustos continuem a acontecer.

No anúncio das mudanças, a plataforma afirmou não punir usuários que sejam vítimas de tentativas desse tipo, enquanto existem relatos de criadores que chegaram a ser suspensos ou terem transmissões ao vivo retiradas do ar após serem alvos da prática. Os ataques com bots que inflam métricas são mais uma entre tantas artimanhas usadas para gerar o bloqueio de canais, que envolvem também o uso de nomes com formato semelhante a números de CPF ou telefone, que podem levar a acusações de vazamento de informação, ou incentivos para que o criador fale palavras “proibidas” ou cite assuntos polêmicos durante as lives.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ainda sobre o caso, a Twitch afirmou que também pretende tomar ação legal contra empresas que trabalham com a venda de seguidores e engajamento — no passado, processos já foram movidos contra empresas que vendiam visualizações na plataforma. Mais detalhes sobre o assunto, entretanto, não foram divulgados pela empresa.

O que fazer em caso de ataque?

A indicação aos criadores de conteúdo que forem vítimas de ataques desse tipo é entrar em contato com o suporte da Twitch para relatar o acontecido. Como não existem termos específicos sobre o assunto entre as regras da plataforma — e a própria disse não penalizar os canais que sofrerem tais golpes —, o ideal é registrar o incidente e aguardar um retorno da própria plataforma.

Tire screenshots e mantenha no ar os vídeos dos momentos em que o ataque aconteceu, assim como guarde métricas e registros que cheguem por e-mail a partir do próprio Twitch ou outros serviços de análise. Anotar o horário de início e fim da onda de seguidores falsos também pode ser uma medida importante para facilitar o suporte pela empresa.

Por fim, a principal recomendação é quanto ao desligamento de notificações de novos seguidores na tela, de forma que os alertas não atrapalhem a transmissão. Além disso, vale também ativar, nas configurações do canal, uma opção pela qual apenas perfis verificados com e-mails podem comentar no chat, como forma de reduzir um vetor possível de ataque. Acima de tudo, a comunidade de criadores se volta a si mesma na prestação de apoio, indicando que incomodar o criador é, justamente, o intuito dos responsáveis por estes ataques e incentivando os streamers a continuarem no ar mesmo após incidentes desse tipo, de forma a não dar a vitória aos trolls, que querem, justamente, ver o trabalho sendo interrompido.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: