Mercado abrirá em 9 h 45 min
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,21
    -0,09 (-0,12%)
     
  • OURO

    1.752,00
    +2,20 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    44.539,50
    +875,06 (+2,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.114,31
    +5,39 (+0,49%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.587,21
    +76,23 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    30.200,89
    +561,49 (+1,89%)
     
  • NASDAQ

    15.303,25
    -0,25 (-0,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2253
    +0,0003 (+0,00%)
     

Twitch processa dois streamers acusados de promover ataques a minorias

Logo da Twitch exibido em tela de celular
Imagens violentas, insinuações sobre a KKK e mensagens que incitam o suicídio fazem parte dos ataques recebidos pelos usuários
(Associated Press)
  • Plataforma processa dois streamers por ataques de ódio;

  • De acordo com a Twitch, a maioria das ofensas eram voltadas às comunidades negras e LGBTQIA+;

  • Usuários já haviam denunciado recebimento de ofensas.

A Twitch anunciou nesta sexta-feira, 10, que está processando judicialmente os streamers CruzzControl e CreatineOverdose, acusados de promover ataques contra minorias no começo de agosto.

Segundo a maior plataforma de streaming de videogame do mundo, CruzzControl é “responsável por quase 3 mil bots associados a crimes de ódio, [...] incluindo aqueles que têm como alvo as comunidades negras e LGBTQIA+ da Twitch”.

Leia também: 

O usuário também foi acusado de demonstrar como funcionam os bots que desenvolve com o objetivo de influenciar outros streamers a reproduzir seus métodos e discursos de ódio.

Ataques racistas e insinuações à Ku Klux Klan (KKK), organização supremacista branca, foram identificados na conta de CreatineOverdose, que “usou seu software para demonstrar como realizar ataques de spam em canais da Twitch”, comentou a empresa.

Usuários já haviam denunciado ataques

RekItRaven, criadora de conteúdo na plataforma, foi uma das streamers a denunciar as ofensas e referências à KKK. Foi ela a criadora do slogan #TwitchDoBetter (em português, #TwitchFaçaMelhor) no Twitter, e dezenas de usuários aderiram ao movimento.

O professor sueco Gabriel Erikkson Sahlin também entrou para a lista dos que receberam diversos ataques virtuais, como ofensas transfóbicas, imagens violentas de decapitações e mensagens de robôs que incitam até mesmo o suicídio.

Posicionamento da Twitch

A empresa garantiu, na época, que estava implementando novas medidas de segurança e aperfeiçoando as existentes. Além disso, teria ideias para impedir o acontecimento de novos ataques de ódio.

De acordo com a B9, a Twitch é uma das plataformas que mais se posicionou contra esse tipo de situação – o que é importante, especialmente por contar com mais de 30 milhões de visitantes diários em seu site.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos