Mercado abrirá em 1 h
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,14
    -0,22 (-0,30%)
     
  • OURO

    1.784,00
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    49.367,64
    +44,69 (+0,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.289,07
    -16,04 (-1,23%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.334,30
    -2,75 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    24.254,86
    +257,99 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.725,47
    -135,15 (-0,47%)
     
  • NASDAQ

    16.328,75
    -63,50 (-0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2580
    -0,0161 (-0,26%)
     

Twitch afirma que preços de subs seguem em avaliação

·4 min de leitura

A Twitch voltou a falar sobre a redução nos preços de inscrições a canais no Brasil, cujos valores foram reduzidos no final de julho deste ano. Em comunicado enviado ao Canaltech, a empresa disse que segue avaliando os efeitos da localização nos preços dos subs sobre a receita dos criadores, voltando também a citar testes que foram realizados antes da aplicação das mudanças.

De acordo com a empresa, tais experimentos mostraram que a baixa de cerca de 65% nos valores gerou um aumento de ganhos para os donos dos canais. A fala, porém, vem sendo questionada desde a mudança pelos próprios criadores, que citam quedas de mais de um terço no faturamento mesmo com um aumento no total de apoiadores de seus trabalhos e pedem que a Twitch apresente mais dados sobre a questão.

No comunicado, a empresa não fala em possíveis mudanças ou revisões nos preços, mas volta a citar um programa de compensação de receita para os usuários que tiverem queda no faturamento. Ativo desde agosto, o sistema leva em conta uma média de ganhos nos meses anteriores à redução e propõe algumas metas relacionadas a tempo de transmissão, que devem ser atingidas para que os criadores possam receber os valores corrigidos.

A Twitch disse ainda que segue compartilhando atualizações de forma proativa e que permanece comprometida com a comunidade, mantendo os criadores em mente em todas as decisões que toma. Por e-mail, nós questionamos a empresa sobre como está sendo a avaliação da localização de subs no Brasil, se a possibilidade de retroceder aos preços anteriores ainda é considerada, como a plataforma observa a redução de renda de vários canais e se eles estão monitorando de perto o rendimento dos streamers nos últimos meses. Também perguntamos sobre a possibilidade dos impostos cobrados pela Twitch serem localizados. A empresa, por sua vez, enviou apenas a seguinte declaração:

"A Twitch é altamente comprometida com criadores apaixonados e os mantém em mente em todas as decisões que toma. Antes do lançamento, os testes regionais mostraram que tornar as assinaturas mais acessíveis para mais espectadores aumenta a receita dos criadores. Para ajudar a complementar essas mudanças, foi lançado um programa de 12 meses que garante um certo nível de receita para criadores qualificados. A Twitch continua avaliando os preços de subs localizados após o lançamento e continua compartilhando todas as atualizações de forma proativa com a comunidade."

Redução drástica

Após algumas semanas de testes e uma aplicação segmentada em alguns canais de destaque no cenário brasileiro, os novos valores de inscrições foram aplicados a todos os usuários no final de julho. Os subs pagos, que antes custavam R$ 22,90, passaram a sair por R$ 7,90, em uma alteração que, na visão da Twitch, permitiria que os espectadores apoiassem mais criadores com o mesmo valor.

Categorias mais altas de apoio também tiveram o preço reduzido, com o tier 2 saindo de R$ 44,99 para R$ 15,99, enquanto o tier 3 baixou de R$ 111,99 para R$ 39,99. Caíram também os valores cobrados nos celulares, com um sub no iOS passando a custar R$ 10,90 e, no Android, R$ 8,90; os preços diferenciados estão relacionados às taxas cobradas por Google e Apple nas vendas por meio de suas lojas digitais.

Enquanto isso, o programa de compensação garantiu a média integral dos valores recebidos, no trimestre anterior à mudança, entre agosto e outubro deste ano, em caso de queda de rendimento. Atualmente, o total é de 75% até janeiro, passando para 50% e depois 25%, a cada três meses, até que somente os novos valores permaneçam. Segundo a Twitch, essa é uma forma de dar aos criadores algum tempo para que se acostumem com os novos preços e o mesmo também vale para a audiência, que deve ser ampliada para compensar a redução.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos