Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    48.266,24
    -7.184,84 (-12,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Turquia corta juros em 1 ponto percentual apesar de perdas da lira

·2 min de leitura
Sede do banco central da Turquia, em Ancara

Por Ali Kucukgocmen

ISTAMBUL (Reuters) - O banco central da Turquia cortou sua taxa de juros em 1 ponto percentual nesta quinta-feira, para 15%, citando pressão temporária de preços e afetando a lira, mesmo depois de a inflação ter saltado para quase 20% e a moeda ter despencado para mínimas recordes.

O banco, que avalia-se curvar aos pedidos do presidente Tayyip Erdogan por estímulo apesar dos riscos, ampliou o ciclo de afrouxamento que começou em setembro quando a taxa de juros de recompra de uma semana foi reduzida do nível de 19%.

A lira recuou contra o dólar após a decisão e tinha queda de 3%, a 10,98, igualando mínima recorde atingida mais cedo no dia.

"Literalmente um movimento insano que coloca a lira em ameaça real", disse no Twitter Tim Ash, do BlueBay Asset Management.

A expectativa em pesquisa da Reuters realizada na semana passada era de corte de 1 ponto pelo banco central. O tamanho do corte de 2 pontos percentuais realizado no mês passado surpreendeu os mercados.

Analistas têm chamado o afrouxamento monetário de prematuro e imprudente, já que deixa os rendimentos reais da Turquia em território profundamente negativo, e vai contra o movimento mundial, já que bancos centrais globais estão elevando os juros para conter as altas de preços.

O comitê de política monetária do banco central disse que os fatores temporários que estão elevando a inflação, incluindo a oferta, permanecerão durante a primeira metade do próximo ano.

"O comitê vai considerar completar o uso do espaço limitado subentendido por esses fatores em dezembro", quando realizar sua última reunião de política monetária do ano, completou.

A credibilidade do banco central tem sido afetada nos últimos anos dadas as frequentes críticas de Erdogan aos juros e sua rápida reformulação da liderança do banco devido a diferenças de opinião.

Erdogan prometeu na quarta-feira continuar a combater os juros "até o fim", acelerando a liquidação da lira.

A depreciação de 32% da lira até agora neste ano eleva os preços através das importações, alimentando ainda mais a inflação que subiu a 19,89% no mês passado, nível mais alto em quase três anos.

A inflação está em taxa de quatro vezes a meta oficial do banco de 5%, elevando os custos de vida para os turcos junto com a depreciação cambial.

(Reportagem adicional de Can Sezer, Tuvan Gumrukcu e Ece Toksabay)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos