Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.215,17
    -1.360,30 (-1,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.623,79
    -50,51 (-0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,45
    -0,08 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.783,50
    -4,60 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    19.204,76
    +853,32 (+4,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    377,53
    +12,93 (+3,55%)
     
  • S&P500

    3.619,41
    -18,94 (-0,52%)
     
  • DOW JONES

    29.582,62
    -327,75 (-1,10%)
     
  • FTSE

    6.266,19
    -101,39 (-1,59%)
     
  • HANG SENG

    26.341,49
    -553,19 (-2,06%)
     
  • NIKKEI

    26.433,62
    -211,09 (-0,79%)
     
  • NASDAQ

    12.263,25
    +5,75 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3901
    +0,0155 (+0,24%)
     

Turquia adota confinamento parcial devido a aumento de casos de covid-19

·1 minuto de leitura
Pessoas com máscaras desfrutam do sol de outono em um parque de Ancara, 16 de novembro de 2020
Pessoas com máscaras desfrutam do sol de outono em um parque de Ancara, 16 de novembro de 2020

Os turcos terão que respeitar um confinamento parcial para conter a pandemia do novo coronavírus, que está registrando uma perigosa expansão no país, anunciou nesta terça-feira (17) o presidente, Recep Tayyip Erdogan. 

"Enfrentamos uma situação muito grave. O número de casos e de mortos atingiu um nível preocupante, sobretudo em Istambul", disse Erdogan em uma coletiva de imprensa em Ancara. 

Concretamente, o mandatário anunciou que os turcos não poderão sair de casa durante o fim de semana entre as 20h e as 10h e restaurantes e cafés só poderão vender refeições para viagem. 

Centros comerciais, supermercados e salões de cabeleireiro terão que fechar às 20h e os cinemas permanecerão fechados pelo menos até o fim do ano. A educação também será à distância até o fim de dezembro. 

Erdogan explicou que se a pandemia se agravar, o governo será obrigado "a tomar medidas ainda mais dolorosas". 

A Turquia registrou até agora 420.000 casos de covid-19 e mais de 11.700 mortos. Nesta terça, o número de óbitos em 24 horas superou os cem pela primeira vez desde abril. 

Mas organizações médicas afirmam que o número real de casos é muito superior ao anunciado pelo ministério da Saúde. 

O prefeito de Istambul, Ekrem Imamoglu, crítico de Erdogan, pediu na semana passada que a capital seja confinada já que, segundo ele, o número de pessoas que morrem diariamente só em Istambul é superior ao anunciado pelo governo para todo o país. 

gkg/ezz/sg/bl/mb/mvv