Turismo e tecnologia mantêm bolsas europeias voláteis

A queda no setor de turismo está se contrapondo à alta das ações de tecnologia na Europa, gerando volatilidade nas bolsas locais. Já a libra avançou após o discurso do primeiro-ministro britânico, David Cameron, sobre o futuro das relações do Reino Unido com a União Europeia, e bateu novas máximas com a divulgação da ata de política monetária do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) e dados de desemprego.

Os bons resultados de gigantes de tecnologia dos EUA como Google e IBM, divulgados ontem à noite, ajudam a sustentar as empresas europeias da área na manhã desta quarta-feira

Por outro lado, o setor de viagens e lazer pesa negativamente, pressionado pela TUI Travel, que anunciou que não vai mais fazer uma oferta pela TUI AG, na qual tem participação majoritária.

De modo geral, os negócios na Europa operam em ritmo de cautela, enquanto os investidores aguardam novidades sobre o teto da dívida dos EUA. Mais tarde, em Washington, a Câmara dos Representantes deverá votar um projeto de lei que estende até 19 de maio o prazo para que seja atingido o limite de endividamento do governo norte-americano.

No Reino Unido, as atenções se voltaram para o pronunciamento de Cameron, que ajudou a libra a ganhar terreno ante o dólar e apagar perdas geradas por um comentário do presidente do Banco da Inglaterra, Mervyn King. Ontem, King afirmou que uma libra mais fraca é necessária para promover o reequilíbrio econômico, acrescentando que o BoE está pronto para adotar novas medidas de estímulo, se necessário.

Na ata de política monetária publicada nesta quarta-feira o BoE levanta dúvidas sobre o impacto do programa de compra de bônus na demanda e sugere estar buscando formas alternativas de encorajar o consumo no Reino Unido.

A libra também reagiu positivamente aos últimos dados do mercado de trabalho britânico. Segundo o Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês), a taxa de desemprego do Reino Unido caiu para 7,7% nos três meses até novembro, a mais baixa desde os três meses entre março e maio de 2009, quando estava em 7,6%. Nos três meses até outubro a taxa de desemprego estava em 7,8%. O pico mais recente na taxa de desemprego foi de 8,4%, no quarto trimestre de 2011.

Enquanto isso, os yields (retorno ao investidor) dos bônus espanhóis, italianos e portugueses se mantinham estáveis após a bem-sucedida emissão soberana da Espanha. Uma operação semelhante de Portugal está em andamento.

Às 9h07 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,08%, enquanto a de Frankfurt ganhava 0,19% e a de Lisboa avançava 0,76%. Já os principais índices de ações de Paris, Madri e Milão tinham perdas de 0,07%, 0,24% e 0,19%, respectivamente. No mercado de câmbio, a libra subia para US$ 1,5859, de US$ 1,5839 no fim da tarde de ontem, e após atingir a máxima da sessão, de US$ 1,5886, e o euro avançava para US$ 1,3330, de US$ 1,3322. As informações são da Dow Jones.

Carregando...