Mercado fechado

Turismo abre 24.902 vagas formais em 12 meses até outubro, informa CNC

Alessandra Saraiva

Número representa um salto de 330% em relação aos 12 meses imediatamente anteriores O setor de turismo abriu 24.902 novas vagas formais em 12 meses encerrados em outubro, mostra levantamento divulgado nesta sexta-feira pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). De acordo com a entidade, o número representa um aumento de 330% em relação aos 12 meses imediatamente anteriores, encerrados em outubro de 2018.

No levantamento, a CNC detalhou que, somente em outubro, o turismo brasileiro gerou 1.630 novos postos de trabalho formal, totalizando estoque de 2.962.951 trabalhadores nos serviços turísticos. Do total de 39.178.133 empregados registrados com carteira assinada em todas as atividades produtivas no mês, o estoque dos alocados no turismo correspondeu a 7,6%, segundo a CNC, que usou como base dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Emprego formal acelera e país gera 99,2 mil vagas em novembro

No período de janeiro a outubro de 2019, o saldo de empregos no setor de turismo, ainda segundo o Caged, foi de 15.563 vagas, 271% acima do mesmo período em 2018, quando foram criados 4.189 novos empregos.

Na distribuição da ocupação no mercado de trabalho formal em outubro, as atividades de Hospedagem e Alimentação concentraram mais de 1,9 milhão de empregados, cerca de 66,1% do contingente de trabalhadores no setor. Na segunda posição estão Transporte de Passageiros, com 833,2 mil - aproximadamente 28,1% do total.

Na análise por regiões, a CNC informou que, em outubro ante setembro, o grande destaque positivo foi a geração de postos de trabalho no Sul (1.977 novas vagas), puxada por Santa Catarina (1.032 novas vagas). A Região Norte também criou postos de trabalho (391), graças ao desempenho das atividades turísticas no Pará (181 novas vagas) e no Amazonas (169).

Para o economista da CNC responsável pela pesquisa, Antonio Everton, o emprego do turismo foi influenciado por aumento da demanda das atividades ligadas aos serviços tradicionais de cultura e lazer, assim como de transporte aéreo. “Como as atividades dos serviços turísticos são intensivas de mão de obra, o incremento seguramente tem ligação direta com o aumento das vendas”, comentou, em nota, o pesquisador.

Na análise do presidente da CNC, José Roberto Tadros, o resultado reflete recuperação do setor, em sintonia com melhora gradual da economia do País. “Grande parte do bom desempenho do mercado de trabalho do turismo, acentuado no segundo semestre deste ano, reflete a estabilidade de preços, com a inflação em declínio, a diminuição das taxas de juros e o impacto favorável da liberação do FGTS sobre o consumo, além da estabilidade do dólar na maior parte do período”, completou Tadros em comunicado.