Mercado fechará em 3 h 26 min
  • BOVESPA

    109.363,87
    +387,16 (+0,36%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.968,88
    +300,24 (+0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,71
    -0,57 (-0,75%)
     
  • OURO

    1.747,90
    -6,10 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    16.164,55
    -387,99 (-2,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    378,03
    -2,26 (-0,59%)
     
  • S&P500

    3.996,76
    -29,36 (-0,73%)
     
  • DOW JONES

    34.156,55
    -190,48 (-0,55%)
     
  • FTSE

    7.492,88
    +6,21 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.162,83
    -120,20 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.705,50
    -77,25 (-0,66%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6099
    -0,0145 (-0,26%)
     

Turbinas eólicas podem remover gás carbônico da atmosfera

A energia eólica é uma das possíveis opções de energia renovável que já vem sendo utilizada em diversos países como alternativa aos combustíveis fósseis. Mas isso não é tudo: de acordo com estudos recentes, além de fornecer energia limpa, as turbinas eólicas podem ajudar a remover gás carbônico da atmosfera.

Quando o vento passa pelas hélices de uma turbina eólica, seu fluxo perde velocidade e fica mais turbulento. A região atrás de cada turbina onde esse efeito ocorre é chamada de esteira. Simulações de pesquisadores mostram que as hélices são capazes de capturar o CO2 da atmosfera e canalizá-lo nas esteiras das turbinas.

O CO2 é o gás de maior contribuição para o efeito estufa e, por mais que seja necessário que a humanidade diminua sua emissão, métodos que removem o gás já emitido na atmosfera também são uma solução.

O Brasil possui um alto potencial eólico (Imagem: Vitor Paladini/Unsplash)
O Brasil possui um alto potencial eólico (Imagem: Vitor Paladini/Unsplash)

Associar as turbinas a máquinas de remoção de gás carbônico garantem um significativo aumento em sua eficiência. Isso porque esse tipo de máquina não consegue capturar o gás de elevadas altitudes, como acaba sendo o caso de muito do que se emite em uma cidade.

Os resultados das pesquisas, feitas por cientistas da Universidade de Purdue, no estado americano de Indiana, serão apresentados em um congresso no final deste mês. Eles esperam ver aplicações da pesquisa em cidades com alto potencial eólico, como Chicago.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: