Mercado fechado

Tupy sai de lucro para prejuízo de R$ 207,5 milhões no 1º trimestre

Ivan Ryngelblum

Resultado foi afetado por baixa contábil de ativos intangíveis no México, em meio a pandemia A fundição Tupy registrou no primeiro trimestre de 2020 um prejuízo líquido de R$ 207,5 milhões, revertendo o lucro líquido de R$ 80,4 milhões apurado no mesmo período de 2019.

O desempenho da última linha financeira foi prejudicado por uma baixa contábil (“impairment”) realizada em ativos intangíveis no México, decorrente da queda do volume de algumas carteiras e visibilidade limitada dos efeitos da covid-19, com impacto de R$ 34,4 milhões.

Tupy reabre terceira fábrica e aposta na demanda dos EUA

A pandemia também teve efeitos negativos na marcação a mercado do instrumento utilizado para ajustar o valor dos créditos a receber da Eletrobras. O ocorrido foi o principal responsável pela despesa financeira líquida de R$ 218,5 milhões no primeiro trimestre, revertendo a receita do primeiro trimestre de 2019.

Além destes fatores, a Tupy registrou efeito líquido da variação cambial nas contas do balanço e marcação a mercado de derivativos, no valor de R$ 138,8 milhões, com efeito caixa de R$ 17,6 milhões, e uma variação cambial sobre impostos diferidos das operações no México, de R$ 70,1 milhões.

Do lado operacional, a Tupy registrou queda de 14,7% da receita líquida, para R$ 1,1 bilhão, apesar de a receita por quilo vendido ter crescido 12,5% em base anual.

A receita com o mercado interno caiu 26,5%, enquanto os ganhos com vendas no exterior recuaram 12,1%. O segmento de transporte, infraestrutura e logística apresentou contração de 15% e hidráulica teve baixa de 7,2%.

“As vendas foram afetadas principalmente a partir da metade do mês de março pela redução dos pedidos dos clientes no Brasil e exterior ocasionada pela pandemia de covid-19 e seus reflexos na demanda, sendo que diversos clientes paralisaram suas unidades produtivas ao longo do mês com o intuito de proteger os seus funcionários”, diz trecho do relatório.

A Tupy destacou que o lucro operacional antes de “impairments” aumentou 38,5% em comparação com o mesmo período do ano anterior, por conta de inúmeras iniciativas implementadas nos últimos 12 meses.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) caiu 7,5%, para R$ 116 milhões. Em termos ajustados, excluindo itens não recorrentes, ele subiu 20,2%, a R$ 164,5 milhões.

A Tupy informou que o resultado do segundo trimestre tem sido afetado pela paralisação e redução dos volumes no Brasil e no exterior, especialmente em abril e maio.

“Desta forma, o bimestre compreendido por esses meses apresentou reduções de aproximadamente 69% e 64% no volume físico de vendas e nas receitas, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior”, diz trecho do relatório.