Mercado fechado
  • BOVESPA

    130.091,08
    -116,88 (-0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.908,18
    -121,36 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,61
    +0,49 (+0,68%)
     
  • OURO

    1.857,10
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    39.924,94
    -336,58 (-0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    991,19
    -19,41 (-1,92%)
     
  • S&P500

    4.246,59
    -8,56 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    34.299,33
    -94,42 (-0,27%)
     
  • FTSE

    7.172,48
    +25,80 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    28.609,37
    -29,16 (-0,10%)
     
  • NIKKEI

    29.385,94
    -55,36 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.041,75
    +11,50 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1125
    -0,0054 (-0,09%)
     

Tudo o que você precisa saber para começar a ouvir podcasts

·4 minuto de leitura

O podcast não é uma mídia nova, mas o meio ganhou mais projeção nos últimos dois anos, em especial, com a entrada de gigantes neste setor. Empresas como Folha de São Paulo, grupo Globo e até a participação do Spotify no mercado levaram os holofotes de patrocinadores para o meio. Segundo o Spotify, já são registrados mais de 1,9 milhão de programas, conforme dados divulgados no final de 2020 — número este que segue em crescimento.

Contudo, para muita gente, o universo dos podcasts ainda é um mistério. A mídia nasceu no início deste século como o principal conteúdo não-musical para iPods. Produtores de conteúdos podiam criar seus próprios “programas de rádio” e publicar em plataformas variadas, incluindo, por exemplo, a loja da Apple, tudo sem custo para o ouvinte.

É por isso que podcast leva este nome: o termo é um neologismo que une as palavras iPod e “broadcast”, o que, na tradução para o português, pode ser entendido como “conteúdo transmitido pelo iPod”. Como a Apple "matou" o gadget com o passar do tempo, o termo não é mais ligado ao iPod, mas as características que o definem continuam a mesmas.

<em>Necessidade primeira do podcast é poder ser consumido somente em áudio (Foto: Daniel Friesenecker/Pixabay)</em>
Necessidade primeira do podcast é poder ser consumido somente em áudio (Foto: Daniel Friesenecker/Pixabay)

Um podcast se define por basicamente três pontos. O primeiro é o áudio como prioridade. Atualmente, há quem publique seus programas em vídeo também pelo YouTube, ou transmita a gravação via Twitch. Entretanto, o objetivo é publicar o programa para que possa ser consumido também somente em áudio, sendo o vídeo um complemento do material.

Os mais "puristas" do meio ainda apontam a obrigatoriedade de um feed, que seria um segundo ponto na definição do podcast. Isso significa que o usuário deve ter a opção de se inscrever para receber todas as atualizações sobre o programa. No Spotify, por exemplo, o usuário se inscreve em um podcast, sendo avisado sempre que um novo conteúdo é publicado.

Por fim, outro ponto importante é a frequência: um conteúdo em áudio que seja publicado apenas uma vez não é considerado um podcast. Mesmo que seja por uma temporada, com um período limitado de exibição, é importante que haja uma frequência na publicação de novos conteúdos.

Assim, o ouvinte deve esperar de um podcast um programa de áudio, que ele possa acompanhar assinando (mesmo que gratuitamente) um feed e com uma frequência definida.

Formatos de podcasts

Os podcasts ganharam fama com o gênero chamado mesacast. Nele, vários integrantes discutem um determinado tema por um longo período, sem que haja um roteiro muito engessado, deixando os participantes mais livres para debater um determinado assunto.

Contudo, nos últimos anos, outros tipos de formatos têm ganhado espaço. Por exemplo, houve a projeção do storytelling, gênero que conta uma histórica fictícia ou real (aqui, muito comum em programas sobre crimes), tal qual fosse um livro. Este modelo é bem roteirizado e geralmente inclui uma vasta pesquisa feita pelos participantes.

Outro modelo é o de notícias, que funciona de modo análogo a um noticiário de rádio. O apresentador fala sobre os acontecimentos de um determinado meio (como tecnologia, política e etc), podendo trazer convidados, entrevistas e até tecer comentários sobre os assuntos.

Entre os gêneros, ainda se destacam as entrevistas e os programas que apresentam perfis de uma determinada pessoa.

Entrada do Spotify no setor colaborou para propagação dos programas (Foto: Fixelgraphy/Unsplash)
Entrada do Spotify no setor colaborou para propagação dos programas (Foto: Fixelgraphy/Unsplash)

Conheça os podcasts do Canaltech

O Canaltech conta com dois podcasts ativos atualmente: o Porta 101 e o Canaltech News.

O Porta 101 é produzido no formato de mesacast, em que os apresentadores discutem um tema do mundo da tecnologia. Aqui, os participantes se aprofundam em um longo debate sobre um determinado assunto em alta e que merece atenção. Ele é publicado todo sábado com apresentação de Adriano Ponte e convidados. É possível acompanhar o programa pelos principais agregadores (Spotify, Apple Podcast, Google Podcasts), além da página oficial do Porta 101 no nosso site.

O segundo programa é o Canaltech News em podcast. Aqui, o ouvinte acompanha, de segunda a sexta-feira, um resumo das cinco principais notícias do mundo da tecnologia, ciência, entretenimento e demais temas abordados pelo Canaltech. Ele é apresentado diariamente por Wagner Wakka e publicado sempre às 18h. É possível acompanhar os episódios pelos agregadores de podcast e também pela página principal do CT News em nosso site.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: