Mercado abrirá em 5 h 29 min

Tudo o que sabemos sobre CoronaVac, aprovações da Anvisa e cronograma de vacinação

·2 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - JANUARY 07: In this photo illustration, a box of the CoronaVac vaccine developed by the Chinese laboratory Sinovac in partnership with the Butantan Institute on January 7, 2021 in Sao Paulo, Brazil. The government of Sao Paulo reported that the CoronaVac vaccine was 78% effective in clinical tests conducted in Brazil. For severe cases and deaths, the vaccine protection has reached 100%. The Butantan Institute intends to forward to the Sanitary Surveillance Agency (Anvisa) today the authorization request for emergency use and the definitive registration of the vaccine in the country. (Photo illustration by Alexandre Schneider/Getty Images)
Vacina é produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês SinoVac (Foto: Alexandre Schneider/Getty Images)

O governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira, 7, que a CoronaVac tem eficácia de 78%. O uso emergencial do imunizante, produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês SinoVac, já foi pedido à Anvisa. Agora, a agência reguladora tem dez dias para fazer a análise.

A promessa do governador João Doria (PSDB) é começar a imunizar a população paulista em 25 de janeiro. Veja o que se sabe até agora sobre a CoronaVac e o início da vacinação:

EFICÁCIA

A CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceiria com a empresa chinesa Sinovac Biotech, teve uma eficácia comprovada de 78% contra a Covid-19 nos testes de fase 3 realizados no Brasil.

Os dados foram revisados na Áustria pelo Comitê Internacional Independente, que acompanha os ensaios realizados em São Paulo e em outros estados do país.

Leia também

Os testes da CoronaVac no Brasil começaram em 20 de julho e envolveram 13 mil voluntários da área da Saúde em 8 estados. Os profissionais, divididos em um grupo que recebeu o imunizante e outro que recebeu um placebo, tiveram duas doses da CoronaVac aplicadas em um intervalo de 2 semanas.

Desses, cerca de 220 foram infectados pelo Sars-CoV-2.

Outro dado importante no estudo é de que a CoronaVac garantiu proteção total contra mortes nos voluntários vacinados que pegaram a Covid-19. Ou seja, dos voluntários que receberam as doses do imunizante e que mesmo assim desenvolveram a doença, nenhum morreu.

USO EMERGENCIAL

O Instituto Butantan ainda precisa enviar os documentos necessários para a Anvisa para pedir o uso emergencial da CoronaVac.

O pedido foi feito durante a reunião entre representantes do Instituto Butantan e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segundo estudos feitos no Brasil com 13 mil voluntários, o imunizante apresentou eficácia de 78%.

O prazo para aprovação do uso emergencial pela Anvisa é de dez dias, enquanto o pedido de registro definitivo pode demorar até 60 dias.

CRONOGRAMA DE VACINAÇÃO

A vacinação com a CoronaVac acontecerá de segunda a sexta entre 7h e 22h e aos sábados, domingos e feriados das 7h às 17h.

A promessa do governador de São Paulo, João Doria, é que a campanha de vacinação começará em 25 de janeiro. O anuncio dos dias e horários foi feito pelo secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, enquanto Doria se reunia com prefeitos paulistas para falar sobre o plano de imunização.

Atualmente, há 5,2 mil postos de vacinação no estado. Segundo Gorinchteyn, o número subirá para 10 mil. Serão utilizadas escolas, quartéis da PM, estações de trem, terminais de ônibus e farmácias, além do sistema drive-thru.

A CoronaVac também está incluída no Plano Nacional de Imunização, do ministério da Saúde. A previsão é de que a vacinação em âmbito federal comece em fevereiro, mas ainda não há data definida.