Mercado abrirá em 1 h 52 min
  • BOVESPA

    106.858,87
    +1.789,18 (+1,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.605,56
    +8,27 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,32
    +1,83 (+2,63%)
     
  • OURO

    1.782,00
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    51.212,42
    +3.623,54 (+7,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.325,78
    +65,62 (+5,21%)
     
  • S&P500

    4.591,67
    +53,24 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    35.227,03
    +646,95 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.311,42
    +79,14 (+1,09%)
     
  • HANG SENG

    23.983,66
    +634,28 (+2,72%)
     
  • NIKKEI

    28.455,60
    +528,23 (+1,89%)
     
  • NASDAQ

    16.109,00
    +266,25 (+1,68%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4259
    +0,0023 (+0,04%)
     

Tubarões aparecem na praia de Balneário Camboriú. Será que isso é normal?

·2 min de leitura

No último dia 13 de outubro, três surfistas se surpreenderam ao avistar um tubarão na Praia Central de Balneário Camboriú, Santa Catarina. O animal, curioso, chegou a se aproximar de um deles, mas logo foi embora. Este já é o segundo aparecimento de um tubarão na região. Segundo especialistas, as obras de alargamento da faixa de areia na praia, iniciadas em agosto deste ano, têm aumentado a oferta de alimentos para esses animais.

Desde o dia 22 de agosto deste ano, a prefeitura de Balneário Camboriú tem realizado uma grande obra para o alargamento da faixa de areia da Praia Central. Em entrevista à CNN, o geógrafo e curador do Museu Oceanográfico da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Jules Soto, disse que muito provavelmente o aparecimento destes animais se deve ao distúrbio provocado pela dragagem dos últimos dois meses.

Segundo Soto, os tubarões são animais sensíveis a qualquer alteração no ecossistema local. À medida que as dragas revolvem os bancos de areia, espécies menores, como camarões, são retiradas do sedimento. Então, os peixes são atraídos e os tubarões aparecem para se alimentar deles. Em 16 de setembro, um tubarão com cerca de dois metros de comprimento foi avistado na região e posteriormente identificado como o tubarão-martelo juvenil de pontas pretas.

O tubarão avistado na semana passada fugiu logo após esbarrar em um dos surfistas e por isso os especialistas não conseguiram determinar sua espécie. A secretária de Meio Ambiente de Balneário Camboriú, Maria Heloísa Lenzi, disse, em entrevista ao G1, que a mudança no conjunto de seres vivos, flora e fauna que habitam a região já era esperada — mas, segundo ela, desde que as obras para expansão da praia começaram, apenas tartarugas e cetáceos haviam sido avistados.

(Imagem: Reprodução/Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú)
(Imagem: Reprodução/Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú)

Além disso, Lenzi ressaltou serem espécies que ocorrem naturalmente na região. "Já era esperado alteração na biota. Por isso estamos monitorando. Mas até agora não temos nenhum dado que relacione um impacto negativo de grande magnitude", acrescentou. A obra da faixa de areia da praia, iniciada em agosto, pretende ampliar a atual média de extensão de 25 metros para 70 metros. De acordo com a prefeitura, o trabalho garantirá a proteção da orla contra o avanço do mar.

O geógrafo Jules Soto acredita que a obra possa ser positiva para a biodiversidade da região. Segundo ele, o engordamento da praia poderia recuperar um ecossistema até então em declínio na região. Soto também acrescentou que, ao fim deste processo de alargamento, os tubarões não devem mais se aproximar tanto à costa. Apesar do susto, não há motivos para alardes, pois espécies de tubarões agressivas são raras e não são típicas das praias de Santa Catarina.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos