Mercado abrirá em 8 h 45 min
  • BOVESPA

    108.402,27
    +1.930,35 (+1,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.354,86
    +631,43 (+1,35%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,59
    -0,17 (-0,19%)
     
  • OURO

    1.801,90
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    23.853,09
    +537,33 (+2,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    557,35
    +14,47 (+2,67%)
     
  • S&P500

    4.140,06
    -5,13 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    32.832,54
    +29,07 (+0,09%)
     
  • FTSE

    7.482,37
    +42,63 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    20.228,71
    +182,94 (+0,91%)
     
  • NIKKEI

    28.000,18
    -249,06 (-0,88%)
     
  • NASDAQ

    13.221,50
    +38,25 (+0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2110
    +0,0016 (+0,03%)
     

TSMC diz que conflito por Taiwan pode afetar o fornecimento global de chips

O presidente da fábrica de semicondutores Taiwan Semiconductor Manufacturing (Taiwan Semiconductor), Mark Liu, informou recentemente em uma entrevista à CNN que uma invasão chinesa de Taiwan tornaria as fábricas da TSMC "inoperantes" e criaria "grande turbulência econômica" em ambos os lados do Estreito de Taiwan — o que afetaria o fornecimento global de semicondutores.

A TSMC é um dos principais fornecedores dos microchips mais avançados do mundo — usados em tudo, desde smartphones e carros até mísseis — e suas fábricas tem cumprido um papel importante para aliviar uma escassez global. A big tech taiwanesa domina mais da metade do mercado global de semicondutores, com clientes incluindo Apple e Sony.

Porém, segundo Liu, caso uma guerra ocorresse, o impacto de tal conflito afetaria âmbitos muito além dos semicondutores, e provocaria a "destruição da ordem mundial baseada em regras" e "mudaria totalmente" o cenário geopolítico.

Liu também enfatizou que "ninguém pode controlar o TSMC a força" devido à extrema sofisticação das suas fábricas, que exigem uma conexão em tempo real com parceiros em todo o mundo — incluindo os EUA, a Europa e o Japão — para tratar de assuntos que vão desde matérias-primas e produtos químicos até peças de reposição e software.

O presidente da TSMC também disse que uma interrupção nas operações da empresa criaria uma grande turbulência econômica na China — que representa 10% do mercado da big tech —, onde "seus componentes mais avançados" desapareceriam de forma repentina.

Tensões entre EUA e China

A declaração de Liu ocorre em meio a visita da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, pela Ásia. O movimento tem trazido uma tensão entre os EUA e a China em relação à independência de Taiwan com Pequim prometendo tomar “medidas resolutas e enérgicas” caso Pelosi visite a ilha.

Segundo o ministério chinês das Relações Exteriores nesta segunda-feira (01), a visita de Pelosi a Taiwan "ameaçaria seriamente a paz e a estabilidade" do estreito de Taiwan. Os canais de televisão CNN (Estados Unidos) e TVBS (Taiwan) sem revelar suas fontes, que Pelosi incluiu a ilha na agenda de viagem.

O governo chinês é contra qualquer iniciativa que conceda legitimidade internacional às autoridades taiwanesas e a qualquer contato oficial entre Taiwan e outros países. O Partido Comunista da China reivindica Taiwan, que conta com um regime de democracia, como seu próprio território — apesar de nunca tê-la governado — e nunca descartou o uso da força para “reunificar” a ilha com o continente chinês desde que o governo do Partido Nacionalista da China fugiu para o país, em 1949.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos