Mercado fechará em 45 mins
  • BOVESPA

    110.426,78
    -3.156,23 (-2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.015,82
    -582,71 (-1,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,04
    -0,41 (-0,54%)
     
  • OURO

    1.733,30
    -18,70 (-1,07%)
     
  • BTC-USD

    41.711,93
    -1.398,88 (-3,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.029,17
    -27,98 (-2,65%)
     
  • S&P500

    4.377,98
    -65,13 (-1,47%)
     
  • DOW JONES

    34.487,79
    -381,58 (-1,09%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.846,25
    -348,50 (-2,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3328
    +0,0260 (+0,41%)
     

TSE pede ao Supremo informações de inquérito sobre fake news para investigações de eleição de 2018

·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Felipe Salomão, pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, o compartilhamento de provas que constam de inquéritos que investigam o financiamento de notícias falsas e atos antidemocráticos e tenham relação com prejuízos causados na campanha das eleições de 2018.

No ofício, o ministro afirma que os fatos investigados pelo Supremo podem ter relação com duas Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) em curso no Tribunal e que investigam a chapa do presidente Jair Bolsonaro e do vice, Hamilton Mourão, por abuso de poder político e econômico durante a última campanha para a Presidência da República.

Um dos inquéritos a que Salomão se refere foi aberto em julho por Moraes, na sequência do inquérito de atos antidemocráticos, para manter a investigação da organização e o funcionamento de grupos digitais, com envolvimento de deputados e aliados do Bolsonaro, depois que a Procuradoria-Geral da República pediu o arquivamento da investigação original, o inquérito sobre atos antidemocráticos.

Uma primeira parte das investigações já havia sido encaminhada por Moraes ao TSE a pedido do corregedor-anterior, Og Fernandes.

"Renovo não só o pedido de informações, como também o de compartilhamento de provas eventualmente produzidas que possam vir a interessar a solução das lides postas nos autos", diz o ofício.

Esta semana, o TSE abriu ainda outra investigação contra Bolsonaro. Dessa vez, para investigar a divulgação de notícias falsas pelo presidente em ataques ao sistema eleitoral brasileiro e às urnas eletrônicas.

Ao mesmo tempo, o TSE enviou notícia-crime ao STF para incluir as falas de Bolsonaro no inquérito das fake news.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos