Mercado abrirá em 8 h 39 min
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,73
    +1,47 (+2,22%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,60 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    49.023,64
    -168,50 (-0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.260,83
    -180,93 (-12,55%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.473,32
    -293,37 (-1,23%)
     
  • NIKKEI

    27.866,81
    -162,76 (-0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.742,25
    +24,50 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3808
    -0,0145 (-0,23%)
     

TSE marca para próxima terça-feira julgamento de ações contra chapa Bolsonaro-Mourão

·1 min de leitura
Bolsonaro e Mourão participam de cerimônia no Palácio do Planalto

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) incluiu na pauta da próxima terça-feira, a partir das 19h, o julgamento de duas ações contra a chapa do presidente Jair Bolsonaro e do vice Hamilton Mourão por disparo massivo de mensagens via WhatsApp nas eleições de 2018 e uso fraudulento de documentos de idosos para realizar essas iniciativas.

As ações tinham sido liberadas para julgamento na sexta-feira passada pelo corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Luís Felipe Salomão. Ele deixa o posto dia 29 de outubro e será substituído pelo ministro Mauro Campbell.

Os processos foram movidos pela chapa derrotada nas eleições de 2018 encabeçada pelo PT e, em caso de condenação, podem levar à cassação da chapa Bolsonaro-Mourão, o que poderia levar à perda dos mandatos e tornar os dois inelegíveis na disputa eleitoral do próximo ano.

Na semana passada, a defesa de Bolsonaro chegou a pedir ao TSE a tomada do depoimento do empresário bolsonarista Otávio Fakhoury, que admitiu em depoimento no mês passado à CPI da Covid do Senado ter custeado material de campanha para o então candidato ao Palácio do Planalto em 2018, e da jornalista Patrícia Campos Mello.

Mas o corregedor rejeitou os pedidos, que se aceitos poderiam atrasar ainda mais a análise das ações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos