Mercado abrirá em 4 h 50 min
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,10
    +1,92 (+2,90%)
     
  • OURO

    1.788,50
    +12,00 (+0,68%)
     
  • BTC-USD

    57.096,32
    +325,81 (+0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.469,17
    +26,40 (+1,83%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.735,50
    +260,24 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.386,50
    +236,00 (+1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3934
    +0,0234 (+0,37%)
     

TSE julga na próxima terça ações que podem levar à cassação da chapa Bolsonaro-Mourão

·1 min de leitura

BRASÍLIA — O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai julgar na próxima terça-feira, dia 26, as duas ações que pedem a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão pelo uso de disparos em massa de mensagens em redes sociais durante a campanha eleitoral de 2018. A data foi definida pelo presidente da Corte, ministro Luís Roberto Barroso, e foi divulgada na pauta de julgamentos nesta quarta-feira.

Na última sexta-feira, o ministro Luís Felipe Salomão, corregedor-geral da Justiça Eleitoral e relator dos casos, liberou as ações para julgamento. A definição de uma data, no entanto, depende do ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE.

O julgamento ocorrerá às vésperas de Salomão deixar o posto de corregedor-geral, já que seu mandato termina no dia 29. Ele será sucedido pelo também ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Mauro Campbell Marques.

As duas ações liberadas para julgamento foram apresentadas pela coligação O Povo Feliz de Novo (PT/PCdoB/Pros) e pedem a cassação da chapa presidencial eleita em 2018 por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

A expectativa dentro do TSE é a de que o julgamento seja iniciado com o voto de Salomão e, depois, pausado. Há a possibilidade de que a continuação da análise seja feita em outro momento, até mesmo após o fim do mandato, o que pode levar à inelegibilidade do presidente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos