Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    60.913,61
    -474,44 (-0,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

TSE antecipa em seis meses abertura de códigos das urnas eletrônicas ao público

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta terça-feira, em sessão administrativa, antecipar em seis meses a abertura dos códigos-fonte das urnas eletrônicas ao público para as eleições 2022. A liberação ocorreria em abril de 2022, mas a antecipação foi discutida em uma minuta proposta pelo ministro Luís Roberto Barroso, presidente da Corte, como forma de dar mais tempo às entidades interessadas para inspecionar o sistema.

As urnas eletrônicas estiveram no centro de uma cruzada do presidente Jair Boslsonaro (sem partido) e seus apoiadores, que vinham constestando a segurança dos equipamentos e colocando em xeque os resultados eleitorais.

O TSE analisou nesta terça a minuta de resolução que normatiza a antecipação da abertura dos códigos-fonte da urna eletrônica e do sistema eletrônico de votação para conferência pela sociedade civil. Com a aprovação, a abertura ocorrerá no próximo dia 4 de outubro, a pouco menos de um ano das eleições.

A nova norma aprovada modificará a Resolução TSE nº 23.603/2019, que dispõe sobre os procedimentos de fiscalização e auditoria do sistema eletrônico de votação e formaliza o prazo de 12 meses antes do primeiro turno das eleições para que os códigos-fonte estejam disponíveis para inspeção.

Também estabelece o prazo de 10 dias de antecedência para que as entidades listadas na resolução manifestem ao TSE o interesse em inspecionar o sistema. A medida foi aprovada por unanimidade pelos ministros presentes na sessão.

Os ataques às urnas eletrônicas renderam a Bolsonaro um inquérito administrativo no TSE, proposto pelo corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Luís Felipe Salomão. A apuração tem como base um procedimento aberto para que autoridades públicas do país pudessem apresentar provas que comprovassem ocorrências de fraude no sistema eletrônico votação nas eleições de 2018, em particular nas urnas eletrônicas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos