Mercado fechará em 1 h 17 min

Trump: "Se eu perder, talvez tenha que deixar os EUA"

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
US President Donald Trump makes his way to board Air Force One before departing from Andrews Air Force Base in Maryland on October 17, 2020. - Trump will be heading on a three-day campaign trip which will take him to Michigan, Wisconsin, Nevada, and Arizona. (Photo by MANDEL NGAN / AFP) (Photo by MANDEL NGAN/AFP via Getty Images)
US President Donald Trump makes his way to board Air Force One before departing from Andrews Air Force Base in Maryland on October 17, 2020. - Trump will be heading on a three-day campaign trip which will take him to Michigan, Wisconsin, Nevada, and Arizona. (Photo by MANDEL NGAN / AFP) (Photo by MANDEL NGAN/AFP via Getty Images)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugeriu que pode deixar o país se não se reeleger em novembro. Em discurso realizado em Macon, na Geórgia, o candidato republicano disse que seu opositor, Joe Biden, era o “pior candidato da história das eleições presidenciais”.

"Você pode imaginar se eu perder, o que vou fazer? Vou dizer que perdi para o pior candidato da história da política? Não vou me sentir tão bem, talvez tenha que deixar o país, não sei", disse Trump.

Leia também

Além da Geórgia, o candidato à reeleição realizou comício na Flórida na última sexta-feira (16). Ele venceu nos dois estados há quatro anos, porém Biden lidera as pesquisas de opinião.

"Vamos presenciar uma onda vermelha [cor dos republicanos] de tamanho sem precedentes”, afirmou Trump durante comício em Ocala, Flórida. “Joe Biden é um desastre e um político corrupto”, disse, em tom agressivo.

O presidente insistiu na relação entre os democratas e o comunismo: “Democratas não têm mais do que desdém pelos vossos valores, e querem converter os Estados Unidos em um país comunista”.

Trump e Biden farão o último debate eleitoral na próxima quinta-feira. Ontem, eles participaram de eventos com eleitores transmitidos por diferentes redes de TV. Segundo dados da empresa Nielsen, 14,1 milhões de espectadores acompanharam o programa de Biden, contra 13,5 milhões que preferiram assistir a Trump.