Mercado fechado

Trump pede que invasores do Capitólio 'vão para casa em paz' e repete que houve fraude em eleição

João Conrado Kneipp
·4 minuto de leitura
Trump postou um vídeo alegando, novamente, uma fraude não provada na eleição e pedindo que seus apoiadores vão para casa. (Foto: Reprodução/Twitter)
Trump postou um vídeo alegando, novamente, uma fraude não provada na eleição e pedindo que seus apoiadores vão para casa. (Foto: Reprodução/Twitter)

Depois de insuflar seus apoiadores em Washington, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu que os manifestantes abandonem o prédio do Capitólio, invadido na tarde desta quarta-feira (6).

Os apoiadores de Trump interromperam a sessão do Congresso na qual o Senado certificaria a vitória de Joe Biden no Colégio Eleitoral para assumir a presidência dos EUA no dia 20 de janeiro - que ganhou no Colégio Eleitoral por 306 contra 232.

Leia também

Em um vídeo divulgado em rede social, ele voltou a repetir que a eleição foi “roubada” e pediu que os manifestantes voltassem para casa em paz.

“Eu sei que vocês estão sentidos. Eu sei que vocês estão magoados. Tivemos uma eleição que foi roubada de nós, foi uma eleição com uma derrama (de votos) e todo mundo sabe, especialmente o outro lado (os Democratas). Mas vocês precisam ir para casa agora, precisamos de paz”, afirmou Trump.

“Precisamos de lei e ordem. Não queremos ninguém se machuque. É um período muito duro, nunca houve um momento como este em que algo como esse aconteceu, em que nos roubaram. Roubaram de mim, de você, do nosso país. Essa foi uma eleição fraudulenta, mas não podemos estar ‘na palma da mão’ deles. Temos que ter paz. Vão para casa. Amamos vocês, vocês são especiais. (...) Eu sei como vocês se sentem, mas vão para casa e vão em paz”, completou o presidente.

O Twitter privou os comentários e curtidas no vídeo de Trump, e colocou um alerta alegando que tomou tal ação por “conta de risco de violência”.

Momentos antes da invasão ao Congresso, Trump disse que marcharia junto com os manifestantes ao Congresso. “Eu estarei com vocês. Vamos andar até o Capitólio e felicitar nossos bravos senadores e congressistas”, disse um discurso

COMO FOI A INVASÃO AO CAPITÓLIO?

Imagens mostram invasões de manifestantes em setores do prédio do Capitólio. Uma mulher foi baleada dentro do prédio do Congresso. A vítima, que ainda não foi identificada, foi socorrida e está em estado crítico. Não foi identificada a origem do disparo.

A prefeita de Washington, Muriel Bowser, decretou um toque de recolher que impede qualquer circulação de pessoas nas ruas da cidade a partir das 18h no horário local - 20h no horário de Brasília — até às 6h de quinta-feira (7).

Segundo informações da GloboNews, uma ala do Capitólio teve de ser evacuada por suspeita de bomba. Imagens registradas por jornalistas norte-americanos e correspondentes brasileiros mostram dezenas de pessoas inicialmente tentando invadir o prédio, e depois de fato nas salas interiores do Capitólio.

Os senadores foram orientados a retornarem para seus escritórios, enquanto parte da imprensa e servidores estão sendo constantemente deslocados pelos corredores do Capitólio. A polícia do Congresso também orientou os senadores a colocarem suas máscaras de gás, que cada um possui em seu gabinete, como forma de prevenção.

Mike Pence, vice-presidente dos EUA e presidente do Congresso, que seria responsável por comandar a sessão que reconhecerá Biden como presidente eleito, foi retirado às pressas do prédio do Capitólio.

APÓS COBRAR “MARCHA” ATÉ O CAPITÓRLIO, TRUMP PEDE PAZ A APOIADORES

Horas após inflamar seus seguidores, reunidos no Parque Elipse, ao lado da Casa Branca, em um discurso no qual voltou a questionar a legitimidade das eleições e cobrar uma marcha até o Congresso, Donald Trump postou um pedido para que seus apoiadores não entrem em confronto com a polícia do Capitólio.

Nas redes sociais, Trump também atacou a decisão de Pence de não impedir a certificação da vitória de Biden.

“A Constituição me impede de reivindicar autoridade para determinar quais votos eleitorais devem ser contados e quais não devem”, afirmou Pence em nota divulgada enquanto a sessão conjunta do Congresso começava a certificar os votos do Colégio Eleitoral.

A declaração foi divulgada depois que Trump pediu a Pence em um comício em Washington para se recusar a certificar os votos. Donald Trump criticou o vice logo após sua manifestação.

"Mike Pence não teve a coragem de fazer o que deveria ter sido feito para proteger nosso país e nossa Constituição", tuitou Trump. "Os EUA exigem a verdade!".