Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,81
    -0,76 (-1,92%)
     
  • OURO

    1.907,40
    -4,50 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    13.656,48
    -24,26 (-0,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,32
    +9,03 (+3,46%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.534,25
    -53,75 (-0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7181
    +0,0776 (+1,17%)
     

Trump aponta negociações "produtivas" de pacote para economia, mas Pelosi quer plano integral

·3 minutos de leitura
O presidente dos EUA, Donald Trump
O presidente dos EUA, Donald Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reverteu sua decisão de encerrar as negociações com os democratas para um novo plano de estímulo econômico e indicou que há "conversas muito produtivas" em andamento, embora a líder da Câmara de Representantes tenha alertado que é preciso um plano integral. 

A menos de um mês da eleição de 3 de novembro, Trump interrompeu abruptamente as negociações com os democratas na terça-feira, voltando à Casa Branca depois de ser hospitalizado por contrair o novo coronavírus. 

Nesta quinta-feira, ele recuou e indicou que vê "possibilidades muito boas" para um acordo. 

"Estamos começando a ter conversas muito produtivas", disse ele em entrevista à Fox Business News, referindo-se especificamente à assistência às companhias aéreas e aos trabalhadores. 

"Estamos falando de um acordo mais amplo do que o das companhias aéreas", indicou. 

A líder da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, alertou, porém, que "não haverá uma lei independente para as companhias aéreas sem um projeto mais amplo". 

O governo quer uma lei para o setor aéreo de cerca de 25 bilhões de dólares e uma nova ajuda econômica para os trabalhadores, mas Pelosi, que controla a bancada majoritária da Câmara de Representantes, recusa a ideia enquanto os democratas buscam um pacote de resgate que inclui ajuda para governos locais e estados. 

"Existem algumas áreas de acordo", afirmou Pelosi, que culpou os republicanos por "se afastarem" de um plano integral. 

A pandemia provocou forte contração da economia dos Estados Unidos, que passou de uma taxa de desemprego de 3,5% em fevereiro para uma alta de 14,8% em abril. Desde então, o indicador tem melhorado lentamente e ficou em 7,9% em setembro. 

Depois que o Congresso aprovou um pacote de apoio econômico de 2,2 trilhões de dólares em março, o governo Trump e a oposição estão em desacordo sobre o tamanho do próximo plano. 

Os democratas inicialmente pediram 3 trilhões de dólares e mais tarde concordaram em baixá-los para 2,2 trilhões. O governo traçou o limite em 1,6 trilhão e qualquer acordo deve passar pelo Senado, onde os republicanos são a maioria. 

Ao encerrar as negociações, Trump - que está ficando para trás nas pesquisas rumo à reeleição - acusou Pelosi de não negociar de boa fé. 

Depois da indignação expressa por ambos os partidos e empresários, Trump mudou seu posicionamento e pediu ao Congresso que aprovasse "imediatamente" uma legislação para estender a ajuda a companhias aéreas e pequenas empresas.

- Demissões em níveis altos -

Nesta semana, os novos pedidos de seguro-desemprego permaneceram em um nível elevado de 840.000, quase inalterado em relação à semana anterior. 

O economista-chefe para os Estados Unidos da consultoria HFE indicou que os novos pedidos - que correspondem às pessoas recentemente demitidas - "caíram menos do que o esperado". 

"A melhoria na renovação dos pedidos de seguro-desemprego reflete que há pessoas que encontram trabalho, mas também há indivíduos que esgotaram os seus benefícios", disse o especialista. 

A consultoria Oxford Economics indicou que se os líderes políticos não conseguirem lançar um pacote adicional de apoio à economia, "haverá mais pedidos de ajuda, dado o fato de que muitas empresas anunciaram demissões". 

"Isso aumenta o risco de que algumas pessoas fiquem sem benefícios no início de 2021", alertou.

bur-an/lda/cc