Mercado abrirá em 8 h 5 min
  • BOVESPA

    120.636,39
    -605,24 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.495,41
    -962,61 (-2,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,36
    +0,38 (+0,72%)
     
  • OURO

    1.848,40
    +8,20 (+0,45%)
     
  • BTC-USD

    35.305,12
    -930,11 (-2,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    700,46
    -14,74 (-2,06%)
     
  • S&P500

    3.798,91
    +30,66 (+0,81%)
     
  • DOW JONES

    30.930,52
    +116,26 (+0,38%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.698,91
    +56,63 (+0,19%)
     
  • NIKKEI

    28.474,17
    -159,29 (-0,56%)
     
  • NASDAQ

    13.037,00
    +51,50 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5065
    +0,0079 (+0,12%)
     

Trump agora indica que pode sancionar pacote, diz jornal

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente dos EUA, Donald Trump, indicou que poderia sancionar o pacote de US$ 2,3 trilhões sobre gastos e ajuda durante a pandemia a tempo de evitar uma paralisação parcial do governo, segundo o jornal The Washington Post. Desde sábado (26), milhões de norte-americanos tiveram seus benefícios de desemprego expirados, depois que Trump se recusou a assinar o pacote. O presidente surpreendeu republicanos e democratas quando disse, nesta semana, que estava insatisfeito com o projeto de lei, que forneceria US$ 892 bilhões em alívio pelo coronavírus, incluindo benefícios especiais de desemprego que expiraram em 26 de dezembro, e US$ 1,4 trilhão para gastos regulares do governo. Sem a assinatura de Trump, cerca de 14 milhões de pessoas podem perder esses benefícios extras, de acordo com dados do Departamento de Trabalho. Uma paralisação parcial do governo começará na terça-feira (29), a menos que o Congresso chegue a um acordo sobre um projeto provisório de financiamento do governo antes disso. Ainda de acordo com o Washington Post, que citou três pessoas familiarizadas com o assunto, Trump tem repetidamente mudado de opinião sobre o pacote. Na noite deste domingo (27), o presidente sugeriu uma mudança de posição ao tuitar: "Boas notícias sobre o pacote de estímulos! Informações em breve". Trump, que entrega o poder ao presidente eleito, o democrata Joe Biden, em 20 de janeiro, não se opôs aos termos do acordo antes que o Congresso o aprovasse, na segunda-feira (21). Mas desde então ele tem se queixado de que o projeto concede muito dinheiro para interesses especiais, projetos culturais e ajuda estrangeira, enquanto o auxílio emergencial de US$ 600 para milhões de norte-americanos em dificuldades seria muito pouco. Ele exigiu que fosse aumentado para US$ 2.000.