Mercado abrirá em 3 h 52 min

Trudeau nega ação 'política' no caso Huawei

Logo da Huawei em feira de eletrônicos em 8 de julho de 2018

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, garantiu nesta quinta-feira que não houve "intervenção política" na detenção em Vancouver da diretora financeira do grupo chinês de telecomunicações Huawei, Meng Wanzhou.

"Fomos avisados do procedimento judicial alguns dias antes da detenção", em 1° de dezembro, declarou Trudeau sobre a prisão, a pedido dos Estados Unidos, de Meng Wanzhou. "Não houve intervenção política nesta decisão, já que respeitamos a independência do Poder Judiciário".

A diretora financeira e filha do fundador do grupo Huawei deverá comparecer diante de um juiz nesta sexta-feira, para o estabelecimento da fiança.

Huawei, um dos maiores fornecedores do planeta de equipamentos de telecomunicações e serviços, tem sido alvo de um rigoroso controle nos Estados Unidos, onde funcionários de segurança nacional apontam seus vínculos com o governo chinês na área de Inteligência.

A detenção de Meng Wanzhou ocorre após Estados Unidos e China acertarem uma trégua na guerra comercial entre os dois países, durante um encontro entre os presidentes Donald Trump e Xi Jinping, na Cúpula do G20 em Buenos Aires.