Mercado fechará em 12 mins
  • BOVESPA

    111.870,01
    -741,64 (-0,66%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.762,46
    +296,44 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,17
    +0,56 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.788,60
    -6,40 (-0,36%)
     
  • BTC-USD

    37.025,68
    +895,05 (+2,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    843,25
    +0,79 (+0,09%)
     
  • S&P500

    4.378,39
    +51,88 (+1,20%)
     
  • DOW JONES

    34.373,42
    +212,64 (+0,62%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.238,00
    +251,25 (+1,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0104
    -0,0136 (-0,23%)
     

Trio de ucranianos supera um dos maiores desafios do alpinismo

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dos maiores desafios do alpinismo mundial, o lado sudeste da montanha Annapurna III, foi escalado em outubro deste ano. Subir os 7.555 metros foi um feito obtido por três ucranianos: Nikita Balabanov, Mikhail Fomin e Viacheslav Polezhaiko, segundo reportagem do diário espanhol El País.

Annapurana e seus 8.091 metros foi a primeira montanha superior a 8.000 metros a ser conquistada pelo homem, obra da aventura de Maurice Herzog e Louis Lachenal, em junho de 1950. Mas o lado sudeste continuava como um grande desafio, insuperável apesar das tentativas anteriores.

Ainda segundo o El Pais, a estratégia dos ucranianos foi aprender com erros anteriores. Três alpinistas morreram em uma avalanche em 2019. Um outro teve de fugir para escapar do mesmo fim e escreveu, em 2010, que a escalada não era "suicida para o estilo alpino: blocos gigantes de gelo suspensos, rochas podres, gelos..."

Estilo alpino é sair do acampamento base com todos os equipamentos necessários e dormir na montanha se necessário.

O jornal espanhol informa que os ucranianos perceberam que, com 40 quilos de equipamentos, precisariam de 12 dias para escalar o lado sudeste e voltar, sem saber com certeza o local da descida. Eles passaram 18 dias na montanha para tentar um caminho tão seguro quanto possível. Nos últimos seis, cada um comeu apenas uma barra e meia de energético por dia.

Os alpinistas fizeram a descida às cegas, pelo lado sul da montanha, atingidos por fortes rajadas de vento. Perderam 13 quilos cada e chegaram à beira do colapso físico. Foram levados de helicóptero para Katmandu, a capital do Nepal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos