Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    42.271,33
    +342,39 (+0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Trilogia Rua do Medo da Netflix pode ganhar sequências e spin-offs

·2 minuto de leitura

Rua do Medo já nasceu com cara de franquia slasher pipoca quando chegou logo com três filmes e ainda deixou gancho para muito mais na sequência, além de material para inúmeros spin-offs. Isso tudo conseguindo aprovação do público e da crítica, em uma adorável união de cult e pop. Agora, segundo declarações da diretora Leigh Janiak em entrevista ao IndieWire, a franquia pode realmente ganhar ainda mais histórias.

“Uma das coisas interessantes de Rua do Medo é o fato de que o universo é grande e permite muito espaço,” explicou a cineasta. “Uma das coisas que falei antes de ser contratada, é que, aqui, temos um potencial para criar um 'Universo Cinematográfico Marvel' de terror, em que você pode ter assassinos slasher de muitas épocas diferentes. Você tem o cânone da nossa mitologia principal que é construída em torno do fato de que o diabo vive em Shadyside, então também há espaço para tudo mais”.

Imagem: Reprodução/Netflix
Imagem: Reprodução/Netflix

Até o momento, os três filmes já passaram pelo Top 10 da Netflix e, no Rotten Tomatoes, a trilogia aparece com as seguintes notas: 1994 com 84% da crítica e 65% do público, 1978 com 89% e 83%, e 1666 com 95% e 83%. O tempo tem ajudado a diminuir as notas dos filmes e a Netflix ainda precisará avaliá-las por um tempo após o fim da trilogia antes de finalmente decidir dar sinal verde para uma nova produção ou não.

“Eu acho que minha esperança é que o público goste o suficiente para podermos começar a construir [mais], podemos pensar em como seria outra trilogia, como seriam filmes solos, como seria uma série”, comentou Janiak, mostrando possíveis caminhos de expansão que já haviam sido cogitados antes mesmo de os filmes chegarem às nossas telas.

Imagem: Reprodução/Netflix
Imagem: Reprodução/Netflix

Ela também indicou que já não vê grandes distinções entre as obras feitas para TV (séries ou filmes) e aquelas criadas para as telonas: “Eu nem penso mais nisso exatamente como na TV ou no cinema. Essa é a grande vantagem da Netflix e do que é Rua do Medo, que é uma coisa nova e híbrida. Estou animada com a possibilidade do que mais pode acontecer.”

Por fim, Janiak comentou que outras referências sempre podem surgir, como um slasher dos anos 1950 que ela descobriu há pouco tempo e que lhe chamou a atenção, indicando que novas inspirações podem vir de qualquer lugar, inclusive de onde não imaginamos que poderia vir.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos