Mercado abrirá em 6 h 39 min
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,12
    +1,55 (+1,41%)
     
  • OURO

    1.829,00
    +4,20 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    20.832,65
    -386,44 (-1,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    453,18
    -8,61 (-1,87%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    +49,51 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    22.159,81
    -69,71 (-0,31%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.114,50
    +74,00 (+0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5405
    -0,0036 (-0,06%)
     

Tribunal de Nova York aprova plano de reorganização da Latam

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A companhia área Latam informou neste sábado (18) que o Tribunal de Falências do Distrito Sul de Nova York nos Estados Unidos aprovou o seu plano de reorganização, em mais um capítulo para que a empresa consiga deixar o processo de recuperação judicial, solicitado em maio de 2022.

No último dia 11, a empresa já havia anunciado ter conseguido financiamento para sair da recuperação judicial -o Capítulo 11, ou "Chapter 11", em inglês, como é chamado esse processo nos Estados Unidos. O acordo, fechado com um consórcio de bancos (J.P. Morgan, Goldman Sachs, Barclays, BNP Paribas e Natixis), envolve US$ 2,25 bilhões em emissão de dívida e US$ 500 milhões em uma nova linha de crédito rotativo.

Mas ainda era preciso que o tribunal americano aprovasse o acordo, o que aconteceu neste sábado. Com isso, a saída da empresa do processo de recuperação judicial está prevista para o segundo semestre deste ano.

"Apoiado por quase todos os credores da Latam, o plano é resultado de meses de negociações entre as principais partes interessadas, o que incluiu um extenso período de mediação", informou a empresa em comunicado, destacando que o plano atende aos requisitos legais dos Estados Unidos e do Chile e vai garantir a sua sustentabilidade no longo prazo.

O próximo passo é conquistar a aprovação dos acionistas, na próxima assembleia extraordinária, da nova estrutura de capital contemplada no plano.

A empresa também deve fazer o registro de ações e títulos mobiliários junto à Comissão do Mercado Financeiro do Chile (CMF) e a implementação dos respectivos períodos de direito de preferência para a oferta das ações e títulos conversíveis aos atuais acionistas da Latam.

"Uma vez tornado efetivo, o Plano da Latam injetará aproximadamente US$ 8 bilhões por meio de uma combinação de aumento de capital, emissão de títulos conversíveis e novas dívidas. Isso inclui o financiamento de US$ 5,4 bilhões garantido pelos principais acionistas (Delta Air Lines, Qatar Airways e Grupo Cueto) e pelos principais credores da Latam (ou seja, os credores representados pelo grupo Ad Hoc de Credores da Latam Parent e certos detentores de títulos locais)", diz o comunicado.

A recuperação judicial da Latam envolve as suas afiliadas no Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Estados Unidos.

"Estamos muito satisfeitos com a confirmação de nosso plano de reestruturação pelo juiz. Este é um passo muito importante no processo de saída do Capítulo 11 e continuaremos trabalhando intensamente para concluir as etapas restantes nos próximos meses", disse o CEO do grupo, Roberto Alvo, em nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos