Mercado abrirá em 2 h 40 min
  • BOVESPA

    100.774,57
    -1.140,88 (-1,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.007,16
    +308,44 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,59
    +1,02 (+1,56%)
     
  • OURO

    1.771,10
    -13,20 (-0,74%)
     
  • BTC-USD

    57.028,98
    +42,65 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.451,49
    -17,59 (-1,20%)
     
  • S&P500

    4.513,04
    -53,96 (-1,18%)
     
  • DOW JONES

    34.022,04
    -461,68 (-1,34%)
     
  • FTSE

    7.120,05
    -48,63 (-0,68%)
     
  • HANG SENG

    23.788,93
    +130,01 (+0,55%)
     
  • NIKKEI

    27.753,37
    -182,25 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.962,50
    +92,75 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4085
    -0,0383 (-0,59%)
     

Trepanação: a medicina antiga tratava problemas mentais com um furo no crânio

·2 min de leitura

A lobotomia choca as pessoas até hoje, já que é considerada um método polêmico de tratar determinados transtornos. Apesar de parecer um procedimento bem antigo, é relativamente novo, uma vez que surgiu apenas no século 20. O que a sociedade antiga fazia, então, para cuidar da saúde mental? Simples: um furo na cabeça! Mais conhecido como trepanação, o tratamento é ainda mais agressivo que a lobotomia. Na prática, a técnica era usada para aliviar a pressão no cérebro causada pelo sangue.

Os mais antigos crânios descobertos com evidências de trepanação são realmente antigos (6.000 aC) e surgiram do norte da África, Ucrânia e Portugal. No entanto, crânios com marcas de uma técnica de trepanação menos rudimentar também foram descobertos na República Tcheca, França e algumas regiões da América do Sul. Também há evidências que sugerem que a trepanação continuou a ocorrer em partes da Europa medieval, como a Espanha. Os especialistas estimam que o procedimento atingiu um alto nível de popularidade entre os séculos 14 e 16, na América do Sul.

As evidências apontam que os primeiros ancestrais podem ter praticado com crânios de animais ainda vivos, como uma intervenção veterinária. Acredita-se que a cirurgia era considerada a solução para vários tipos de doenças, e nos seres humanos, usada para tratar ferimentos cranianos, doenças mentais e epilepsia. Entretanto, arqueólogos sugerem que a trepanação poderia ter sido utilizada também para fins religiosos, como o exorcismo.

Como era o método de trepanação

Ao longo do tempo, cinco métodos principais de trepanação foram descobertos. O primeiro envolvia cortes retangulares que se cruzavam, feitos com facas de pedra dura e mais tarde com facas de metal. O segundo método era a raspagem com uma pederneira, algo mais comumente encontrado na Itália, na Renascença. O terceiro método, usado até recentemente no Quênia, era cortar uma fissura circular e então retirar o disco de osso.

O quarto método consistia no uso de uma trefina (um instrumento cirúrgico com uma lâmina cilíndrica, tipo uma broca-copo), e pode ter se desenvolvido a partir do terceiro. Já o quinto método consistia em fazer um círculo de orifícios bem espaçados e então cortar o osso entre os orifícios. Esse método foi adotado pelos árabes, usado também no Peru e, até recentemente, no Norte da África.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos