Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.832,24
    -2.594,91 (-5,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

'Tremendo abusador': Maduro acusa Facebook de censurar vídeos sobre 'gotinhas milagrosas' contra Covid

·1 minuto de leitura
Maduro apresentou o medicamento em dezembro passado

O presidente da Venezuela acusou nesta terça-feira o Facebook de censurar os vídeos em que ele fala sobre supostas "gotinhas milagrosas" chamadas Carvativir, que, segundo Nicolás Maduro, são capazes de "neutralizar" a Covid-19.

"Censuram todos os vídeos em que mostro o Carvativir. O Facebook excluiu da minha página, de forma abusiva e ditatorial, o vídeo completo do programa do último domingo e o vídeo completo onde se explica como a Venezuela fez todos os testes científicos para autorizar, como fizemos, o Carvativir", criticou Maduro em ato transmitido pela TV.

O Carvativir é o mais recente de uma série de remédios sem estudos médicos publicados que o presidente socialista promoveu desde que a pandemia chegou ao seu país. "Eles dizem que, até que a OMS autorize, não posso falar sobre o Carvativir. Quem manda na Venezuela? O dono do Facebook? Quem manda no mundo? O dono do Facebook? Abusadores. É Zuckerberg que se chama? Tremendo abusador", criticou Maduro, cujo governo já acusou outras redes sociais, como Twitter e YouTube, de censura.

O presidente venezuelano disse que o mundo deveria refletir sobre "os abusos" nas redes sociais. "São pessoas multimilionárias, que pretendem impor suas verdades, suas razões, seus abusos ao mundo."

Diante da avalanche de informações durante a pandemia, o Facebook ajustou sua política, regulando "anúncios que contenham afirmações enganosas, falsas ou infundadas sobre temas de saúde", assinalou a plataforma.

Após as críticas ao Facebook, Maduro afirmou que um de seus ministros, Aristóbulo Istúriz, estava sendo tratado com o Carvativir: "Tomou 10 gotas a cada quatro horas por 10 dias, no caso dele. Recuperou-se com força."

mbj/jt/lda/lb