Mercado fechará em 6 h 57 min
  • BOVESPA

    129.441,03
    0,00 (0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,69
    +0,78 (+1,10%)
     
  • OURO

    1.846,90
    -32,70 (-1,74%)
     
  • BTC-USD

    39.711,81
    +3.852,17 (+10,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    985,71
    +43,89 (+4,66%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.141,67
    +7,61 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.014,00
    +19,75 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1742
    -0,0184 (-0,30%)
     

TRE-PR publica vídeo em rede social satiranzando quem defende voto impresso

·1 minuto de leitura

RIO - Em meio a debate sobre voto impresso, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) movimentou as redes sociais, no fim de semana, ao publicar uma sátira relacionando o voto impresso ao passado em um aplicativo de mídia para criar e compartilhar vídeos curtos.

A publicação, que carrega a legenda “A urna eletrônica é 100% segura”, já tem mais de 32 mil curtidas. O TRE-PR estreou na rede social em outubro de 2020 e já tem quase 24 mil seguidores.

Na última sexta-feira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou uma campanha comemorativa dos 25 anos da urna eletrônica, cujo enfoque é justamente reforçar a credibilidade do processo eleitoral brasileiro.

A campanha, apresentada pelo presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, explica todos os passos da segurança do sistema e será exibida nas redes sociais.

O debate sobre o "voto auditável" está na ordem do dia de apoiadores de Jair Bolsonaro, que questiona a credibilidade da urna eletrônica desde 2018, antes mesmo de ganhar as eleições. No último final de semana, o presidente disse a apoiadores acreditar que, “com toda a certeza”, o voto auditável será aprovado para as eleições de 2022.