Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    48.103,97
    +678,97 (+1,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Travel techs estão em alta, com quase 220 empresas de turismo online no Brasil

·2 minuto de leitura

Mais de 200 empresas se dedicam atualmente ao segmento nacional das travel techs, que fazem intermediação de viagens, turismo e mobilidade. O estudo Anuário das Travel Techs Brasileiras, realizado pela Loureiro Consultores em parceria com a Onfly, fez um mapeamento das empresas nacionais do setor.

O levantamento identificou 219 travel techs e aponta que elas devem movimentar mais de R$ 35 bilhões em 2022. O critério inicial da pesquisa é o fato de a empresa ter sido criada no Brasil. Também houve rigor no conceito de travel tech: as startups devem fazer uso intensivo de tecnologia para oferecer as atividades de viagem, turismo e mobilidade.

Marcelo Linhares, sócio e CEO da Onfly, diz que há uma convergência crescente entre turismo e mobilidade. “Embora historicamente sejam considerados segmentos diferentes, eles se cruzam e se sobrepõem o tempo todo, tornando-se quase indissociáveis”, argumenta.

Iniciativas para o setor

Uma pesquisa do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês) aponta que o turismo representou 8,1% do PIB brasileiro em 2018. Segundo Linhares, isso demonstra a importância do estudo para o detalhamento das movimentações do setor, “que é tão significativo para a economia nacional".

Imagem: Reprodução/Envato/GeorgeRudy
Imagem: Reprodução/Envato/GeorgeRudy

Para ele, a recuperação da atividade turística, tão atingida pela pandemia de COVID-19, passa inevitavelmente pela transformação digital. “Esse é o maior desafio da História para o setor. De um lado, milhões de consumidores com hábitos cada vez mais digitais e, de outro, uma indústria totalmente fragilizada e repleta de ineficiências, com baixíssima maturidade digital.”

Nesse sentido, o anuário é a primeira de uma série de iniciativas para promover e expandir o segmento de travel techs no país. “Lançaremos eventos e capacitações sobre tecnologia”, adianta Fernão Loureiro, da Loureiro Consultores.

Linhares ressalta que, em todo o mundo, a democratização da tecnologia e da digitalização têm provocado o desenvolvimento da inovação em diversas áreas. “Nunca a tecnologia esteve tão acessível como agora, e o setor [de viagens e turismo] precisa urgentemente se digitalizar ou ficará como coadjuvante nessa nova economia.”

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos