Mercado abrirá em 4 h 16 min

Tratamento da farmacêutica Lilly reduz contágios e mortes por covid-19

·1 minuto de leitura
Célula humana muito infectada com partículas do vírus SARS-COV-2, isolada de uma amostra de um paciente, capturada na Instalação de Pesquisa Integrada (IRF) do NIAID, em Fort Detrick, Maryland

A combinação de dois anticorpos sintéticos pela empresa farmacêutica norte-americana Eli Lilly reduziu em 70% hospitalizações e mortes por covid-19 em pacientes de alto risco, com testes positivos recentes - anunciou a empresa nesta terça-feira (26).

"Bamlanivimab e etesevimab juntos têm o potencial de ser um tratamento importante que reduz, significativamente, as hospitalizações e a morte em pacientes com covid-19 de alto risco", disse o diretor científico da Lilly, Daniel Skovronsky.

Os resultados foram obtidos de um estudo de fase 3, envolvendo 1.035 pessoas.

O tratamento também reduziu a carga viral dos pacientes e o tempo de recuperação da doença.

Os pacientes receberam um placebo, ou a combinação de 2,8 gramas de cada um dos dois anticorpos.

Houve 11 mortes, ou internações, entre os pacientes que receberam o tratamento, 2,1% desse grupo. No placebo, foram 36 mortes, ou hospitalizações, correspondente a 7% do grupo.

Isso significa que a terapia representou uma redução de risco de 70%. O resultado foi estatisticamente significativo, o que torna improvável uma ocorrência aleatória.

Houve dez óbitos no total, todos entre os pacientes que tomaram placebo, e nenhum no grupo de terapia.

A empresa disse que continuará estudando o medicamento em outro ensaio para examinar se doses mais baixas produziriam o mesmo impacto.

Os anticorpos monoclonais são versões das defesas naturais do corpo fabricadas em laboratório com o objetivo de combater infecções.

ia/wat/llu/dga/tt