Mercado fechado

Cabelos: entenda as diferenças entre implante e transplante capilar

Os implantes e transplantes capilares podem ser a solução para a queda dos cabelos (Getty Images)

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o transplante e o implante capilares estão entre as três intervenções mais procuradas por homens, principalmente quando outras alternativas para o combate à calvície estão se esgotando.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

As cirurgias de transplantes ou implantes, dependendo do volume, podem custar entre 5 e 30 mil reais. 

Leia também

Implante utiliza fios sintéticos

O implante utiliza fios sintéticos de cabelo para implementá-los na área designada. É um método simples, mas pode causar a rejeição do couro cabeludo ou mesmo ficar muito parecido como uma peruca. 

Já o transplante, normalmente mais recomendado, implica no transplante do cabelo de uma parte do corpo com muitos fios (nuca, laterais da cabeça, costas, peito, etc.) para outra que está em falta. Pelo fato do fio ser do próprio corpo, não apenas as possibilidades de rejeição são reduzidas, como a cicatrização e a aparência tornam-se mais naturais. 

Vem pro FUT ou pro FUE!

O método para alguém que busca uma resolução rápida da falta de cabelos é o FUT, sigla em inglês para Extração de Unidade Folicular. A operação consiste na extração de faixas do couro cabeludo de regiões com muitos pêlos (normalmente nuca ou laterais da cabeça) em busca da maior quantidade possível de fios. O FUT costuma responder rápido, com resultados em cerca de um mês, mas tem um pós-operatório mais complicado.

O FUT pode deixar cicatrizes retilíneas nos locais de extração do couro e inflamar com mais facilidade. É comum haver mais dor no pós-operatório, o que aumentam os cuidados com o paciente.

Caso esteja buscando por algo mais simples, mas com resultados mais demorados, o FUE, sigla para Extração de Unidade Folicular, é o método mais garantido. Além de não deixar cicatrizes e ter uma recuperação rápida, o método de transplante exige menos do paciente no período pós-operatório.

Na técnica FUE, uma máquina é utilizada 

O tratamento por FUE é feito com a extração folicular fio a fio da área onde tem cabelo. Pode ser feito de forma motorizada, quando o médico opera uma máquina que extrai manualmente fio a fio ou de método robotizado, quando um robô assume e agiliza o processo. Em ambos os casos pode ser usada a anestesia, sendo a mais comum a local que imobiliza as reações do espaço anestesiado.

Existem dois métodos de transplante (Getty Images)

Evitar álcool e cigarro antes da cirurgia

Para que o paciente não corra riscos ele deverá discutir com seu médico o método (FUT ou FUE) mais recomendado, além de seguir suas indicações de pré e pós operatório à risca.

Antes da cirurgia o paciente deve evitar cortar o cabelo da região doadora, além de evitar o uso de drogas ilícitas ou lícitas, como álcool e cigarro, além de anti-inflamatórios, antialérgicos e anticoagulantes. 

Pós operatório demanda paciência 

Para o período do pós-operatório é recomendado que o paciente durma ao menos nas duas primeiras noites com a cabeça elevada, tome os medicamentos no horário correto, evite retirar casquinhas e lave o cabelo na clínica depois de 24 horas com o auxílio de enfermeiros.

As precauções servem para evitar queda excessiva dos cabelos transplantados e inflamações mais graves. Caso ocorra qualquer problema no processo, a indicação é procurar o médico o mais rapidamente possível. A maior parte dos problemas como inchaço, queda, etc. são reversíveis e, o quanto antes forem percebidos, mais rapidamente serão tratados.