Mercado fechado

Transição para o digital coloca WPP no caminho da recuperação

Kate Holton
·2 minuto de leitura

Por Kate Holton

LONDRES (Reuters) - Maior empresa de publicidade do mundo, a WPP espera que suas vendas líquidas voltem aos níveis de antes da pandemia antes do previsto, graças à rápida transição corporativa global para ecommerce e serviços digitais.

A dona das agências Ogilvy, Gray e GroupM foi duramente atingida este ano quando as empresas reduziram os gastos com publicidade para economizar, mas a WPP disse que agora alcançou um novo desempenho de líder da indústria ajudando clientes a desenvolver operações de comércio eletrônico.

A WPP disse nesta quinta-feira que espera que suas vendas líquidas subjacentes caiam 8,4% em 2020, antes de subir uma porcentagem de um dígito médio no próximo ano e atingir níveis pré-pandêmicos em 2022. Após isso, a empresa espera crescimento anual de 3% a 4%.

O presidente-executivo, Mark Read, disse que o negócio provou ser mais resistente do que muitos esperavam e uma estratégia definida há dois anos para oferecer aos clientes uma combinação de experiência digital com dados e criatividade provou ser inestimável durante 2020.

"A Covid acelerou muitas tendências", disse ele à Reuters. "A mudança para a mídia digital, a explosão do comércio eletrônico, a importância do propósito e da reputação: os fundamentos de nossa estratégia não mudaram, mas a Covid nos forçou a acelerá-la."

Analistas acolheram a declaração como prova de que a WPP pode se recuperar, observando que muitas das previsões financeiras estavam acima das expectativas, embora eles tenham dito que o grupo agora tinha que executar seu plano adequadamente.

Nas mínimas de março, as ações da WPP caíram quase 60% em relação ao final de 2019, mas se recuperaram de forma constante e eram negociadas com alta de mais de 4% nesta quinta-feira, reduzindo as perdas do ano até agora quase 24%.