Mercado fechará em 5 h 42 min
  • BOVESPA

    109.949,50
    -1,99 (-0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,87
    -0,60 (-0,76%)
     
  • OURO

    1.893,30
    +2,60 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    22.726,99
    -405,94 (-1,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    523,87
    -13,02 (-2,42%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.943,92
    +58,75 (+0,75%)
     
  • HANG SENG

    21.624,36
    +340,84 (+1,60%)
     
  • NIKKEI

    27.584,35
    -22,11 (-0,08%)
     
  • NASDAQ

    12.674,75
    +129,50 (+1,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6087
    +0,0413 (+0,74%)
     

Trajetória mais gradual de alta de juros do Fed deve limitar danos econômicos, diz Barkin

Presidente do Federal Reserve de Dallas, Thomas Barkin

Por Lindsay Dunsmuir

(Reuters) - A transição do Federal Reserve para incrementos menores de aumento da taxa de juros ajudará a limitar os danos à economia dos Estados Unidos enquanto o banco central norte-americano trabalha para reduzir a inflação elevada, disse o presidente do Fed de Richmond, Thomas Barkin, nesta sexta-feira.

“Se você acha que as melhorias na cadeia de suprimentos e nossas ações até o momento são suficientes para reduzir a inflação rapidamente, então nossa trajetória mais gradual para a taxa de juros deve limitar o dano”, afirmou Barkin em comentários em um evento em Durham, Carolina do Norte.

Barkin reiterou que o Fed deve permanecer resoluto em seu compromisso de reduzir a inflação, mesmo que seja prudente agir com mais cautela para não reprimir a demanda de forma muito agressiva, bem como dar tempo para que as ações do banco central permeiem a economia. A inflação, medida pelo indicador preferencial do Fed, está quase três vezes acima da meta de 2% do banco central.

"Faz sentido manejar de forma mais deliberada", disse Barkin. "Uma vez que a demanda enfraquece, estudos estimam que pode levar mais 6 a 12 meses para que esses recuos atenuem a taxa de inflação."