Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.307,05
    -503,67 (-0,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Tradutora e chef lança livro que aborda de receitas ao machismo estrutural nas cozinhas do país

·2 min de leitura

RIO — Em 1993, a tradutora, escritora e chef de cozinha Adalgisa Campos da Silva começou a escrever um livro que só agora chegará aos leitores. Foi a pandemia que deu o empurrão que faltava para a continuidade do antigo projeto. Ela acaba de lançar, pela editora Lacre, “Saborosa leveza”. Nas páginas, Adalgisa — que é chef da própria cozinha, como ela mesma se define — reúne receitas ideais para quem gosta de comer e quer se manter em forma.

— Comecei o livro em 1993, quando passei a cozinhar com mais frequência em minha casa de Cabo Frio, aproveitando peixes maravilhosos do local. Retomei-o quando fiz um curso de gastronomia, mas também não o levei adiante. Somente na pandemia pus mãos à obra para finalizá-lo — conta Adalgisa.

Ela lembra o encanto que seu avô Albertinho provocava nela com suas habilidades na cozinha.

— Ele era um verdadeiro “cordon bleu” — diz, referindo-se à famosa escola francesa de gastronomia.

Moradora do Leblon, ela adianta que a principal característica do livro é a simplicidade:

— Não se trata de um livro de receitas ou um manual de como emagrecer, mas uma filosofia alimentar, contando a história da minha atitude em relação a o alimento.

Além das receitas voltadas para uma alimentação equilibrada, o livro escrito por Adalgisa aborda temas como o machismo estrutural nas cozinhas e experiências vividas pela própria escritora, como um episódio com o lendário chef francês Paul Bocuse, durante sua visita ao Rio de Janeiro, no restaurante Collonges au Mont d’Or, no antigo Hotel Méridien. No livro, há também fotos de pratos que vão abrir o apetite de amantes da gastronomia , feitas por Isabela Apolinário.

Tradutora de títulos badalados — como “Kamala Herris”, de Dan Morrain; e “Cinquenta tons de cinza”, de E. L. James —, Adalgisa agora publica a sua primeira obra por meio de uma editora, já que ela lançou, em 2020, de maneira independente, o livro “Uma correspondência”, que trata das cartas trocadas entre ela e o poeta Carlos Drummond de Andrade, no período entre 1973 e 1984.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos