Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    49.649,91
    +1.011,04 (+2,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Tradings de soja do Brasil se comprometem com desmatamento zero a partir de 2020

Ana Mano
·1 minuto de leitura
Plantação de soja em propriedade rural de São Desidério, na Bahia

Por Ana Mano

SÃO PAULO (Reuters) - As tradings de soja brasileiras CJ Selecta, Caramuru e Imcopa se comprometeram com o desmatamento zero em suas respectivas cadeias de suprimento, em movimento que pressiona empresas de maior porte a acelerar compromissos ambientais.

A promessa envolve o veto à comercialização de soja cultivada em terras desmatadas após agosto de 2020 em todo o Brasil, o que faz com que ele vá além de acordos anteriores entre tradings, que se aplicavam apenas à Amazônia.

Patricia Sugui, diretora de Sustentabilidade da CJ Selecta, disse que as três empresas são parte de um grupo que promove a sustentabilidade da soja, acrescentando que a medida para erradicar o desmatamento de suas cadeias imediatamente é "uma reposta a demandas da sociedade civil". As três companhias abastecem principalmente a indústria de salmão da Noruega.

O compromisso é o primeiro do gênero entre fornecedores de soja brasileiros, colocando pressão sobre grandes players, como a Cargill e a Bunge.

"Nós aplaudimos essa iniciativa da Caramuru, CJ Selecta e Imcopa para proteger o meio ambiente brasileiro e a vida selvagem fora da cadeia de valor do salmão", disse a Cargill à Reuters.

Em comunicado, a Bunge afirmou que se comprometeu a eliminar o desmatamento legal de todas as suas cadeias de suprimento até 2025, "o prazo mais curto do setor".

A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) não respondeu de imediato a um pedido por comentários.

A Caramuru, que exportou 817 mil toneladas de farelo de soja em 2020, disse que vai utilizar satélites e dados governamentais para cumprir a promessa.