Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,05
    -1,62 (-2,58%)
     
  • OURO

    1.794,80
    +16,40 (+0,92%)
     
  • BTC-USD

    54.935,26
    -1.502,99 (-2,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.268,31
    +5,35 (+0,42%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.892,75
    +98,50 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7022
    -0,0003 (-0,00%)
     

Traders de títulos elevam apostas em inflação com decisão do Fed

Liz McCormick, Daniela Sirtori-Cortina e John Ainger
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Operadores de títulos aumentaram as apostas em aceleração do crescimento e da inflação depois que o Federal Reserve reiterou as projeções de que manterá os juros perto de zero até 2023.

O sinal de continuidade da política ultrafrouxa inclinou ainda mais a curva de juros dos títulos do Tesouro dos EUA. Os rendimentos de 30 anos ultrapassaram 2,5% pela primeira vez desde 2019. O prêmio sobre a dívida de cinco anos estava perto do nível mais alto em quase sete anos.

Indicadores do mercado das expectativas de inflação também subiram para o maior nível dos últimos anos, enquanto traders reduziram as apostas de que o Fed começaria a subir os juros já no final do próximo ano. O dólar avançou em relação às principais moedas.

O presidente do Fed, Jerome Powell, mais uma vez indicou que não está preocupado com o recente aumento dos rendimentos dos títulos de longo prazo. Seu foco ainda é acompanhar se as condições financeiras permanecem acomodatícias.

O Fed permitirá que a inflação supere a meta, o que “manterá a curva inclinada enquanto investidores apontam para um prêmio de risco de inflação mais alto, o que deve colocar pressão para cima na ponta longa da curva”, disse Gennadiy Goldberg, estrategista sênior de juros dos EUA na TD Securities.

Os rendimentos dos títulos do Tesouro de 10 anos subiram outros oito pontos-base, para 1,72% na quinta-feira. Em prazos mais curtos, os rendimentos permaneceram estáveis, já que os sinais do Fed levaram operadores a reduzir um pouco as apostas em aperto já no final de 2022. Os títulos europeus seguiram a tendência: o rendimento dos títulos de 30 anos da Alemanha subiu para o nível mais alto desde janeiro de 2020.

Sete dos 18 membros do Fed preveem juros mais altas até o fim de 2023, em comparação com 5 de 17 na reunião de dezembro, de acordo com as projeções econômicas trimestrais mais recentes do Comitê Federal de Mercado Aberto. Ainda assim, isso deixou a previsão mediana inalterada em juro zero até 2023.

Após a reunião, estrategistas da Barclays recomendaram realizar lucro em posições compradas de títulos de três anos. No Morgan Stanley, a recomendação é de posições mais inclinadas, de olho no melhor desempenho dos títulos de cinco anos à medida que os mercados diminuem as expectativas de aumento dos juros.

“Não vamos agir preventivamente com base nas previsões”, disse Powell a repórteres em conferência virtual após a decisão, acrescentando que vai demorar para convencer as pessoas de que o Fed está disposto a manter essa posição.

O Fed espera que o salto da inflação neste ano seja de curta duração. O indicador de preços preferido da instituição deve desacelerar para 2% no próximo ano, após aumento para 2,4% em 2021, de acordo com as projeções.

Há outro elemento que pode ter pressionado os rendimentos de títulos de longo prazo. Powell permaneceu em silêncio na coletiva de imprensa sobre se o Fed concordará com o pedido dos bancos de estender o alívio de capital que ajudou a acalmar o mercado de Treasuries no ano passado, mas que deve expirar este mês. Ele disse que fará um anúncio “nos próximos dias”.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.