Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,47
    +0,25 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.816,40
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    16.968,87
    -168,42 (-0,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,44
    -4,71 (-1,16%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.038,75
    -24,00 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4642
    +0,0677 (+1,25%)
     

Traders realizam lucro em Brasil à espera de segundo turno

(Bloomberg) -- As ações brasileiras e o real caminham para sua pior semana desde junho, à medida que os traders evitam adicionar risco antes do segundo turno da eleição presidencial no domingo.

O dólar subiu mais de 3% ante a moeda brasileira no período, que lidera perdas entre uma cesta de 31 principais moedas monitoradas pela Bloomberg, enquanto o índice Ibovespa cai 5% no acumulado da semana, superando apenas Hong Kong entre índices acionários globais. No acumulado do ano, os ativos domésticos ainda batem seus pares emergentes, em meio a múltiplos considerados atrativos e com o apelo do carry para o real.

A corrida presidencial brasileira continua apertada, já que a diferença entre Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro nas pesquisas de opinião ter parado de se estreitar nos últimos dias. Embora a vitória de Lula continue sendo o cenário-base para muitos investidores, um triunfo de Bolsonaro não está descartado.

“Realizar lucros nunca é um movimento ruim”, disse Ray Zucaro, diretor de investimentos da RVX Asset Management em Miami. “Especialmente considerando o quão difícil este ano foi em todos os lugares, enquanto o Brasil foi um vencedor.”

Bolsonaro provou ter um apoio mais expressivo do que se imaginava na votação de 2 de outubro, com alguns subestimando sua performance em quase 10 pontos percentuais. Os mercados saltaram após o primeiro turno, mas desde então reduziram a maioria dos ganhos.

“Investidores locais e estrangeiros celebraram o movimento de recuperação, já que os mercados normalmente dão como certo que governos de direita são melhores em promover crescimento econômico enquanto administram as finanças públicas com responsabilidade”, disse Thierry Larose, gestor da Vontobel Asset Management AG. “No entanto, nosso cenário base ainda é que Lula vence por uma pequena margem.”

Os operadores de câmbio estão se preparando para movimentos bruscos após a votação de domingo. A volatilidade implícita de uma semana do real saltou 18 pontos percentuais nesta semana para cerca de 40%, o nível mais alto desde março de 2020.

Ações do setor de educação, que são vistas como potenciais ganhadoras de um novo governo Lula, dispararam, com a Yduqs subindo 21% nesta semana. A visão de que a recuperação de Bolsonaro pode estar perdendo força também pesou sobre a Petrobras, empresa para a qual os candidatos possuem planos distintos.

Além disso, outra gigante da bolsa tem sofrido. A Vale teve seus resultados do terceiro trimestre pressionados por custos mais altos, enquanto o minério de ferro cai devido aos temores em relação a demanda e com os operadores se preparando para possíveis cortes na produção de inverno na China.

“Você não pode subestimar o impacto da China”, disse Greg Lesko, gestor da Deltec Asset Management em Nova York. A angústia eleitoral e a queda dos preços das commodities “contribuem para uma semana ruim”.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.