Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,83
    -0,74 (-1,87%)
     
  • OURO

    1.907,10
    -4,80 (-0,25%)
     
  • BTC-USD

    13.716,42
    +35,68 (+0,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,32
    +9,03 (+3,46%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.528,00
    -60,00 (-0,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7181
    +0,0776 (+1,17%)
     

Traders de commodities a caminho do melhor ano em uma década

Jack Farchy
·2 minutos de leitura

(Bloomberg) -- Grandes bancos devem fechar o ano com os maiores ganhos em negociações de commodities em uma década, beneficiados pelas fortes oscilações dos preços do petróleo e do ouro.

A receita líquida combinada em commodities dos 12 maiores bancos globais aumentou para US$ 3,8 bilhões no primeiro semestre e deve ultrapassar US$ 7 bilhões em 2020, de acordo com a Coalition Development. Com o resultado, seria o melhor ano de Wall Street no segmento desde 2011.

O aumento das receitas de trading - 95% acima do ano anterior - foi puxado pelos preços do petróleo, que em abril caíram abaixo de zero pela primeira vez na história, o que levou investidores a desfazerem apostas e apresentou uma ótima oportunidade para traders de Wall Street.

Também foi impulsionado por um deslocamento no mercado de ouro. Embora bancos inicialmente tenham sofrido perdas com a marcação a mercado quando os futuros de Nova York subiram para um prêmio atipicamente amplo em relação aos preços de Londres em março, lucraram com oportunidades de arbitragem, como o transporte de metal para os EUA, de acordo com Amrit Shahani, diretor de pesquisa da Coalition.

“Houve dois pontos ideais: petróleo e metais preciosos”, disse Shahani. “Acho que este será o melhor ano em uma década.”

Os ganhos com trading de commodities marca um retorno aos bons tempos para bancos do setor, que têm enfrentado dificuldades na última década com a queda dos lucros em meio a preços mais baixos e restrições regulatórias contra negociações de risco.

O Goldman Sachs resume a mudança de sorte: em 2017, os ganhos com trading de commodities caíram para o menor nível já registrado, levantando dúvidas sobre o futuro da divisão; em maio deste ano, a unidade já havia ultrapassado US$ 1 bilhão em receitas de trading, segundo reportagem da Bloomberg.

Ainda assim, poucos preveem que os níveis de receitas de trading deste ano são sustentáveis, pois é improvável que as condições extremas do mercado em 2020 se repitam.

“É difícil ver como este tipo de volatilidade poderia continuar”, disse Shahani. “Acho que a maioria dos bancos também acha que esse não é o caso: é por isso que tentam fazer mais negócios de longo prazo”, como hedge, afirmou.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.