Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    18.936,58
    +42,06 (+0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Trabalho flexível pode colocar mais mulheres em cargos de chefia

Lucy Meakin
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O trabalho flexível pode ser a solução para empresas que buscam contratar mulheres para cargos de chefia, de acordo com novo estudo da Zurich Insurance.

As inscrições de mulheres para cargos de gestão aumentaram 20% depois que a seguradora anunciou todas as posições possíveis com opções de meio período, trabalho compartilhado ou flexível como parte da pesquisa com o Behavioural Insight Team do governo do Reino Unido. O número de mulheres contratadas para cargos seniores aumentou cerca de 30% como resultado direto, segundo comunicado na terça-feira.

O estudo - que foi conduzido antes de a Covid-19 causar paralisações generalizadas em toda a Europa - mostra como a abordagem de trabalho mais flexível que muitas empresas adotaram durante a pandemia pode proporcionar o avanço na carreira com equilíbrio de gênero.

Apesar do aumento da participação econômica nos últimos anos, as mulheres têm mais probabilidade de assumir a maioria das responsabilidades domésticas e de cuidados. Isso é frequentemente citado como subjacente à menor proporção de mulheres nos altos escalões das empresas e ao fato de que, em média, os homens ganham mais.

A iniciativa não beneficia apenas as mulheres. As inscrições de candidatos do sexo masculino e feminino mais do que dobraram depois que as opções foram oferecidas, segundo a Zurique.

“Isso mostra claramente que não são apenas as mulheres que têm outras responsabilidades, seja um esporte ou de cuidados, que as pessoas querem uma capacidade de trabalho um pouco mais flexível”, disse Alison Martin, CEO da Zurich EMEA, em entrevista à rádio Bloomberg.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.