Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    47.972,91
    -7.035,70 (-12,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Trabalho de faculdade vira padaria artesanal que fatura R$ 160 mil por mês

·1 min de leitura
A empreendedora chegou a trabalhar no setor de investimentos. Foto: Getty Images.
A empreendedora chegou a trabalhar no setor de investimentos. Foto: Getty Images.
  • Julia Macedo sempre sonhou em trabalhar com gastronomia;

  • Contudo, antes de alcançar o sonho, trabalhou no setor administrativo;

  • Atualmente, a Pão à Mão, negócio da empreendedora, fatura cerca de R$ 160 mil ao mês.

Quando crianças, somos questionados sobre a profissão que gostaríamos de ter no futuro. Dificilmente alguém, após crescer, segue os passos escolhidos nesse período. Contudo, não foi o caso de Julia Macedo, que sempre quis trabalhar com gastronomia e alcançou o objetivo.

Ainda assim, o caminho da jovem teve seus percalços, não começando no setor. Antes, a empresária cursou administração.

Leia também:

A empreendedora chegou a trabalhar no setor de investimentos. Contudo, sem paixão pela área, foi após fazer um curso de panificação que Julia decidiu associá-lo à sua formação acadêmica.

A paixão de Julia pela comida era tão grande que o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) envolveu o tema. 

Foi dessa forma que a jovem criou a Pão à Mão, padaria artesanal resultante da tarefa da faculdade. O trabalho era um clube de assinatura de pães. E o negócio deu certo. Após apenas nove meses, a marca cresceu rapidamente.

Com o aumento da procura pelos alimentos, a empreendedora decidiu investir R$ 150 mil em uma sala comercial e em maquinário para trabalhar. Julia tinha 21 anos nesse período. 

Como efeito dos percalços de crescer profissionalmente, a empresária percebeu o machismo no mercado gastronômico. 

Mesmo com variadas padarias em Florianópolis, sua cidade, poucas mulheres conseguiam formar um bom currículo por causa da falta de oportunidades e, consequentemente, de experiência.

A descoberta fez Julia decidir que sua padaria contrataria apenas mulheres. Dessa forma, atualmente, o negócio conta com 15 funcionárias, faturando cerca de R$ 160 mil ao mês.

O negócio é localizado no bairro Santa Mônica, em Florianópolis. Lá são produzidos pães de fermentação natural, como baguetes, ciabattas e brioches, assim como cookies e doces artesanais.

As informações são do Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos