Trabalhadores da Mangels fazem greve contra demissões

Os trabalhadores da Mangels em São Bernardo do Campo decidiram fazer greve depois do anúncio de encerramento das operações da empresa na planta do ABC paulista. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, os 380 trabalhadores da fábrica já paralisaram a produção e ainda há pedidos a serem entregues.

A decisão pela greve foi tomada em assembleia com todos os turnos da empresa na manhã desta sexta-feira, segundo o sindicato, e deve se estender no mínimo até terça-feira (18), quando nova assembleia será realizada. Na segunda-feira (17), os presidentes do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e do conselho de acionistas da Mangels se encontram para uma reunião.

O sindicato organiza uma "campanha de condenação pública da empresa". De acordo com nota distribuída à imprensa, o presidente do sindicato, Rafael Marques, levará o caso "a todas as instâncias e esferas de poder possíveis, como governos e até sindicatos patronais, para denunciar o autoritarismo, a falta de democracia e o descaso da empresa com os trabalhadores".

"A Mangels nunca foi exemplo de relações de trabalho democráticas na nossa base. Não temos Comitê Sindical de Empresa (CSE) naquela fábrica. Já tivemos no passado, mas nossos diretores eram perseguidos", disse Marques, em nota.

A empresa anunciou na quinta-feira (11) que as atividades de estamparia em São Bernardo serão transferidas para a unidade de Três Corações (MG), ao passo que serão descontinuadas as de têmpera, relaminação e centro de serviços de aços.

Carregando...