Trabalhadores formais privados crescem 1,3% em dezembro

O número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado somou 11,6 milhões em dezembro, uma alta de 1,3% na comparação com novembro, ou 154 mil vagas formais a mais, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com dezembro de 2011, houve elevação de 3,6%, o equivalente a 408 mil postos de trabalho adicionais com carteira assinada.

Segundo o IBGE, o ano de 2012 teve uma média recorde na proporção de trabalhadores com carteira assinada, 10,9 milhões, em relação ao total de ocupados: 49,2%, frente a 48,5% em 2011. Em 2003, a proporção de trabalhadores com carteira assinada era de 39,7%.

Massa real ocupados

Já a massa de renda real habitual dos ocupados no País somou R$ 42,7 bilhões em dezembro, um recuo de 1,0% em relação a novembro. Na comparação com dezembro de 2011, a massa cresceu 6,5%. A massa de renda real efetiva dos ocupados totalizou R$ 46,2 bilhões em novembro, alta de 7,3% em relação a outubro. Na comparação com novembro de 2011, houve aumento de 6,7% na massa de renda efetiva.

Média de rendimento

O rendimento médio real habitual dos ocupados foi de R$ 1.805,00 em dezembro. Como resultado, a média anual do rendimento médio mensal habitualmente recebido no trabalho principal em 2012 foi estimada em R$ 1.793,96, um crescimento de 4,1% em relação a 2011.

Entre 2003 e 2012, o poder de compra do rendimento de trabalho aumentou em 27,2%, calculou o IBGE. O rendimento domiciliar per capita subiu 5,2% de 2011 para 2012 (R$1.211,33).

De 2003 para 2012, o crescimento chegou a 42,6%. Em novembro, o rendimento médio real habitual do trabalhador brasileiro foi de 1.822,20. Em dezembro de 2011, a renda média era de R$ 1.749,45.

Carregando...