Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,87
    +0,10 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.855,40
    +0,20 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    32.503,13
    -944,11 (-2,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    653,79
    -23,11 (-3,41%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.638,85
    -56,22 (-0,84%)
     
  • HANG SENG

    30.159,01
    +711,16 (+2,41%)
     
  • NIKKEI

    28.822,29
    +190,84 (+0,67%)
     
  • NASDAQ

    13.471,25
    -4,25 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6385
    -0,0135 (-0,20%)
     

Três semanas após eleição dos EUA, Pensilvânia oficializa vitória de Biden no estado

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Pensilvânia oficializou nesta terça-feira (24) a vitória de Joe Biden no estado na eleição presidencial dos Estados Unidos deste ano -que aconteceu há três semanas, no dia 3. O governador Tom Wolf, que é democrata, anunciou em uma rede social que assinou os documentos que certificam o resultado do pleito. Na segunda (23) todos os condados do estado já tinham enviado para o governo estadual suas contagens finais, como previsto em lei. O placar final aponta 50% dos votos para a chapa formada por Biden e por sua vice, Kamala Harris, contra 48,8% da dupla republicana, formada pelo presidente Donald Trump e seu vice, Mike Pence. Com o resultado confirmado, Biden -que nasceu na Pensilvânia– terá direito oficialmente aos 20 delegados do estado no Colégio Eleitoral, nome dado ao sistema indireto que define o presidente dos EUA. A vitória de Biden contra Trump na corrida presencial, aliás, só foi confirmada quando a imprensa americana projetou no último dia 7 que democrata tinha vencido no estado -isso fez ele superar os 270 votos necessários para ser eleito pelo Colégio Eleitoral. Desde então, o republicano ingressou com uma série de ações judiciais para tentar reverter o resultado na Pensilvânia, mas as tentativas não prosperaram. No sábado (21), um juiz federal indeferiu o pedido de uma ação movida pela campanha de Trump para que milhões de votos enviados por correio fossem desconsiderados no estado.