Mercado fechado

Três grupos fazem proposta pela PPP de saneamento na região de Porto Alegre

Taís Hirata

Disputa envolve um contrato de R$ 9,6 bilhões com a Corsan em nove municípios da área metropolitana da capital gaúcha Três grupos apresentaram proposta pela Parceria Público-Privada (PPP) de saneamento da região metropolitana de Porto Alegre, na manhã de hoje, na sede da B3.

Entregaram envelopes com propostas a BRK Ambiental, a Aegea Ambiental e um consórcio formado pela construtora Aterpa e pela Sano, do grupo Barbosa Mello.

Os envelopes com as garantias serão abertos e avaliados ainda hoje, mas o leilão ocorre na sexta-feira (29). O grupo vencedor será aquele que apresentar o menor preço ao usuário — caso haja uma diferença menor que 15% entre as propostas, a disputa será levada a viva-voz.

As empresas vão disputar um contrato de R$ 9,6 bilhões em contraprestações e investimentos de R$ 1,86 bilhão com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), empresa estadual de saneamento do Rio Grande do Sul.

A empresa vencedora terá que universalizar e operar os serviços de esgoto em nove municípios da região metropolitana de Porto Alegre (Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Eldorado do Sul, Esteio, Gravataí, Guaíba, Sapucaia do Sul e Viamão).

A PPP vem sendo estruturada há anos, mas demorou a sair por conta das dificuldades para aprovar o projeto junto aos municípios.

A concessão deverá ser a primeira de uma série de licitações em estudo pela Corsan, que avalia outras seis PPPs. Uma das mais avançadas é a da região da Serra Gaúcha.