Mercado abrirá em 2 h 30 min

Tráfego nas estradas da Ecorodovias cai 24,3% desde o início da pandemia

Allan Ravagnani

A redução é fruto da menor mobilidade diante da covid-19 O tráfego total nas estradas sob concessão da Ecorodovias caiu 24,3% entre os dias 16 de março (início da quarentena no país) até 23 de junho, na comparação com o mesmo período de 2019, fruto da menor mobilidade diante da covid-19.

No Estado de São Paulo, onde estão as rodovias com maior movimentação do grupo, a concessão Ecovias dos Imigrantes, que liga a capital paulista à Baixada Santista, teve uma redução de 23% no volume total de veículos, incluindo leves e pesados. Na Ecopistas, concessionária das rodovias do sistema Ayrton Senna e Carvalho Pinto, o tráfego foi 41,3% menor do que um ano atrás.

Reprodução/Twitter/@_ecovias

A Ecovia Caminho do Mar, estrada entre Curitiba e o porto de Paranaguá, no Paraná, é a única que tem mostrado saldo positivo no período, tendo aumentado o número de veículos pedagiados em 13,1%, graças aos caminhões que abastecem o porto. Já na Ecocataratas, que liga o interior do Estado (Guarapuava) até Foz do Iguaçu, a movimentação caiu 16,1%.

A Ecosul, que administra rodovias do polo rodoviário de Pelotas no Rio Grande do Sul, viu o volume cair 1,1%, a Eco101, que corta o Espírito Santo de norte a sul, teve o tráfego 14,9% menor, e a Ecoponte, que administra a ponte Rio-Niterói, perdeu 40,9% de volume de carros em seus pedágios no período.

As concessões Eco135 (MG) e Eco050 (MG-GO) não entram na estatística por não estarem sob a concessão da companhia em todo o período compreendido, mas a 135 teve redução de tráfego de 3,1% e a 050 viu um aumento de 1% no período.