Mercado abrirá em 2 h 33 min

Tráfego aéreo global de passageiros cresce 3,3% em novembro, aponta Iata

Cibelle Bouças

No mês, a capacidade ofertada pelas companhias aéreas avançou 1,8%, em relação ao mesmo mês de 2018 O tráfego aéreo global de passageiros — medido em receita por passageiro por quilômetro (RPK, na sigla em inglês) aumentou 3,3% em novembro de 2019, em comparação com o mesmo mês de 2018, informou a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) nesta quinta-feira. A entidade reúne as 290 maiores companhias de aviação do mundo.

Pixabay

No mês, a capacidade ofertada pelas companhias aéreas avançou 1,8%, em relação ao mesmo mês de 2018. Com isso, a taxa de ocupação teve um aumento de 1,1 ponto percentual, para 81,1%. Em novembro, houve crescimento do tráfego em todas as regiões.

“O resultado moderado de novembro reflete a influência contínua da atividade econômica mais lenta, das tensões geopolíticas e outros problemas, incluindo greves na Europa. No lado positivo, desenvolvimentos positivos nas negociações comerciais entre EUA e China, juntamente com sinais de melhoria da confiança dos negócios podem estimular um aumento na demanda de viagens. Enquanto isso, o crescimento modesto da capacidade está ajudando a maximizar a eficiência dos ativos”, disse em comunicado Alexandre de Juniac, presidente da Iata.

O tráfego aéreo global de passageiros em voos internacionais cresceu 3,1% em novembro. A oferta global de voos internacionais aumentou 1,8%. A taxa de ocupação de voos cresceu 1,8 ponto percentual, para 80,1%.

Na América Latina, houve queda de 0,3% no transporte de passageiros em voos internacionais em novembro. A oferta de voos encolheu 1,8% e a taxa de ocupação dos voos 1,3 ponto percentual, para 82,1%.

O tráfego global de passageiros em voos domésticos aumentou 3,5% em novembro. A capacidade doméstica aumentou 3,8% e a taxa de ocupação diminuiu 0,2 ponto percentual, para 82,8%.

No Brasil, o transporte de passageiros aumentou 1,4%, segundo a Iata. A oferta de voos avançou 2,5%. Com isso, a taxa de ocupação dos voos caiu 0,9 ponto percentual, para 82,7%.